xcultured-beef-10.jpg.pagespeed.ic.NIqvJ9WzxJ

Hora do almoço. Está batendo aquela fome, e esse post não só serve para estimular o seu estômago (talvez) mas também para estimular a sua mente. Afinal de contas, uma das tendências culinárias mais populares pode estar se reinventando, com a ajuda da tecnologia laboratorial.

O hambúrguer, ou melhor, a sua carne, pode agora ser reproduzida em laboratório. Cientistas da Universidade de Maastritcht, na Holanda, conseguiram criar carne a partir das células-mãe de uma vaca. O projeto foi apresentado hoje (05) na cidade de Londres, com os seus primeiros degustadores passando as suas impressões.

Infelizmente, as primeiras impressões não agradaram os paladares dos presentes. Quem provou garante que o produto (apresentado no formato de hambúrguer) não tem o sabor de carne de verdade. Os cientistas que demonstraram a carne afirmam que isso aconteceu porque as unidades demonstradas no evento não contavam com nenhum tipo de gordura, algo que eles esperam solucionar incluindo artificialmente, também a partir das células-mãe da vaca.

O mais curioso desse assunto é que, por trás desse grupo de pesquisadores, temos um forte investidor: Sergey Brin. Sim, ele mesmo. Ele, que acredita que a tecnologia pode ser a solução mais viável para muitos problemas, incluindo a fome nos países menos desenvolvidos financeiramente.

Outro problema a ser solucionado nesse hambúrguer de laboratório é que o seu custo de produção estimado é de US$ 325 mil por unidade (fora o alface, queijo, molho especial, cebola, picles e o pão com gergilim).

E você reclamando do preço do Big Mac… tsc, tsc, tsc…

Via Cultured Beef, El País