iPhone

Listas existem para serem polêmicas. E a lista da Time sobre os 50 gadgets mais influentes da história está bem longe de ser uma exceção dessa regra. Há quem diga que o computador pessoal é mais relevante, ou que o relógio de pulso mudou muita coisa, ou até mesmo o Tamagochi é algo que não podemos viver sem. Mas a verdade é que o iPhone é o produto que mudou tudo, e de forma definitiva.

Bom, pelo menos mudou minha vida de forma sensível. Foi o lançamento do iPhone que fez com que eu começasse a escrever sobre tecnologia, ou que pelo menos eu virasse meus olhos para o mercado de tecnologia de consumo, deixando de lado o ambiente de programação e desenvolvimento de sistemas, algo que estava me deixando infeliz. O iPhone me fez ver que o mundo dos gadgets era aquele que o consumidor mais iria ler e consumir, e a partir daí eu comecei a trabalhar na parte editorial.

Com isso, minha vida se tornou mais feliz, e com alguns sacrifícios e dificuldades eu consigo pagar minhas contas, escrevendo sobre os produtos que gostamos ou gostaríamos de ter em casa e no nosso bolso.

Falando de forma mais ampla, o iPhone mudou de forma definitiva o mundo da telefonia móvel. Os smartphones já existiam antes do seu lançamento, mas só com o smartphone da Apple se tornou um objeto de desejo de todos os segmentos de mercado. Deixou de ser uma coisa de executivo ou do nicho geek hardcore para ser o dispositivo que foi (e é ate hoje) a porta de entrada da internet para muita gente.

Não são poucas as pessoas que substituíram o seu computador pessoal para ter um smartphone como principal dispositivo de acesso à rede mundial de computadores. Afinal de contas, a maioria dos telefones inteligentes são mais baratos que um notebook tradicional, sem falar no aspecto de mobilidade, uma vez que você pode usar um telefone em qualquer lugar, e um notebook, por mais fino e leve que seja, não.

Além disso, a internet que conhecemos hoje acabou “se moldando” em função da tecnologia móvel, que por sua vez abraçou a proposta do iPhone. A tela sensível ao toque, que permitia a interação com elementos gráficos que eram exibidos de forma similar ao que recebíamos na tela do computador foi, de forma decisiva, uma grande sacada. Antes, a internet era miniaturizada e adaptada de forma grosseira ao formato mobile. O iPhone tornou tudo mais amigável, intuitivo e próximo de uma realidade que o usuário melhor se adaptou.

Por fim, o iPhone se tornou aquele dispositivo referência. O gadget definitivo. Para muitos, a síntese de dispositivo de tecnologia que pode ser considerado como exemplo daquilo que a tecnologia deve oferecer. Podemos questionar os critérios da lista e algumas de suas escolhas. Mas entendo que a primeira posição para o smartphone da Apple é justa.

Boa parte de nós que hoje amamos o mundo da tecnologia só temos esse sentimento por causa desse produto. Ou também por causa desse produto.