william waack

Demorou até. Demorou um bocado. Mas… William Waack teve o seu contrato reincidido com a Rede Globo de Televisão.

A decisão acontece depois do vídeo vazado na internet, onde durante a preparação para uma entrada ao vivo em um dos telejornais do canal, Waack faz comentários racistas e pejorativos diante de uma situação casual (uma buzina de um carro que passava no local), com a afirmação “é coisa de preto… tinha que ser preto…”.

Eu digo mesmo que a Rede Globo demorou para mandar William Waack embora de seu quadro de funcionários.

Afinal de contas, a própria Rede Globo possui uma campanha institucional liderada por Lázaro Ramos contra o preconceito racial. Ou seja, estava implícito que a política da empresa não tolerava o racismo, sob nenhuma circunstância.

Talvez essa demora em anunciar essa rescisão contratual envolva muito mais eventuais questões trabalhistas. Porém, entendo que a atitude de William Waack poderia muito bem ser considerada uma quebra de contrato. Dificilmente descobriremos a verdade.

Também não excluo o fato que tal comentário feito por Waack aconteceu há mais de um ano, e que ninguém dentro da Rede Globo tomou qualquer tipo de providência para efetivamente punir o “profissional”, e que isso só aconteceu depois que o tal vídeo caiu na internet.

De qualquer forma, o ponto mais assustador disso tudo foi ver os ditos “jornalistas de diploma” defenderem o emprego de William Waack, achando que seu posicionamento em relação aos negros não era “algo grave”, e que tudo o que acontecia contra ele nada mais era do que uma perseguição política.

É duro saber que tem gente formada acéfala no mundo do jornalismo.

Ou gente idiota com tanto poder.

Leia também:  Adeus, HostGator Brasil! Até nunca mais!

Não sei…

Eu sou negro. Recentemente, passei por um dos mais violentos casos de assédio moral e injúria racial da minha vida. Até tapa na cara levei de uma pessoa que manifestou abertamente que eu era “bosta, por ser preto… até porque bosta é preta”.

Pessoas que defendem William Waack não sabem o que é passar por isso.

Pessoas que defenderam William Waack muito provavelmente pensam da mesma forma que ele.

E são “profissionais com diploma”.

Eis a prova cabal que diploma, em alguns casos, não quer dizer absolutamente nada.