Doom rodando na BIOS de um PC sem Windows: sim, é possível | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Games » Doom rodando na BIOS de um PC sem Windows: sim, é possível

Doom rodando na BIOS de um PC sem Windows: sim, é possível

Compartilhe

É incrível ver como o game Doom roda em praticamente qualquer coisa. Em uma calculadora que obtém energia de 770 batatas, um teste de gravidez digital e (pasmem) smartphones velhos. Agora, fizeram o jogo funcionar em um computador sem sistema operacional.

E eu não sei por que estamos surpresos com isso.

Alguém conseguiu rodar o Doom em um computador sem Windows. Para isso, utilizou uma BIOS para executar o jogo. Ou seja, a firmware que controla o computador em baixo nível rodou o jogo de videogame.

 

 

 

Como fazer o Doom rodar em uma BIOS

Isso é possível com o Coreboot, um projeto de código aberto que substitui o firmware proprietário da placa-mãe por um software mais aberto, rápido e flexível. Ele possui um recurso chamado Payloads, que permite criar um sistema de carga que pode funcionar com programas e adicionar funcionalidades à BIOS.

A versão 4.17 do Coreboot incluiu (entre outras novidades) um port de Doom que permite a execução do jogo a partir da ROM, mas com algumas limitações óbvias: o jogo não tem som ou permite salvar partidas, só funciona com um teclado PS/2 (esqueça os teclados com porta USB neste caso), e tão logo você para de jogar o game, todo o sistema é congelado, obrigando assim uma reinicialização do computador.

Qualquer pessoa com conhecimentos técnicos (e consciente dos riscos que está correndo ao alterar profundamente a BIOS de um computador) pode tentar a mesma façanha, desde que tenha um hardware compatível com este software.

 

 

 

Um jogo lendário

Doom é um dos jogos de videogames mais significativos de todos os tempos, e isso explica esse fascínio ou obsessão em querer executar o título em praticamente qualquer lugar que seja teoricamente possível.

O jogo foi lançado pela ID Software em 1993, e tem como principal narrativa controlar o Doomguy, um mariner que deve abrir caminho no meio de hordas de demônios e outros personagens infernais.

O jogo original vendeu mais de 10 milhões de cópias ao redor do mundo, e se mantém vivo quase 30 anos depois do seu lançamento. Logo, é fácil imaginar que o game vai receber muitas homenagens em 2023…. com mais alguns ports para outros produtos que jamais imaginamos que podem rodar esse game.

No final das contas, tantos ports nada mais são do que várias homenagens para um jogo lendário. Um game que faz parte da história dos videogames e, por que não dizer, de nossas vidas.


Compartilhe
@oEduardoMoreira