Compartilhe

Por serem dispositivos versáteis controlados remotamente, é possível encontrar maneiras estratégicas de se aplicar os drones na luta contra a disseminação do Covid-19. Por meio de testes realizados com alguns parceiros e organizações ao redor do mundo, a DJI encontrou quatro maneiras nas quais seus drones podem contribuir no combate à epidemia: inspeção e comunicação urbana, entrega de suprimento, verificação de temperatura corporal e esterilização de espaços públicos. Entenda mais:

Inspeção e Comunicação

Os drones são ferramentas poderosas para possibilitar a visualização e a comunicação em áreas extensas e de difícil circulação. Não à toa, tais dispositivos são amplamente utilizados em missões de resgate. Na China, essas características foram cruciais para estabelecer uma inspeção mais eficaz em áreas urbanas durante o pico da crise do Coronavírus, evitando que as forças de segurança e fiscalização chegassem perto das áreas infectadas para poderem realizar suas missões de monitoramento.

Entrega de Suprimentos

O bordão do momento é claro: fiquem em casa! Muitos governos ao redor do mundo têm encorajado a população a não sair nas ruas, a fim de evitar a exposição ao vírus. Nesta situação, o serviço de delivery é um meio para que as pessoas tenham acesso a produtos importantes, como remédios e alimentos, sem necessitar sair de casa.

O uso de drones para a realização de entregas de suprimentos pode ser uma maneira eficaz de se diminuir ainda mais a exposição. Por mais que o delivery com VANTs não seja ainda feito em escala global, alguns testes já foram realizados nos Estados Unidos e na República Dominicana.

A maioria dos drones podem facilmente ser adaptados para acoplar mecanismos de queda de cargas. Dessa maneira, é possível realizar entregas de pacotes de até 6 quilos – a quantidade de peso que, para esse tipo de operação, não oferece risco. Adotar essa medida pode ser especialmente útil em áreas onde a presença do vírus é confirmada, como hospitais que tratam pacientes que contraíram o Covid-19.

Verificação de temperatura

Na China, condomínios de apartamentos e outros prédios passaram a implementar um sistema para verificar a temperatura dos visitantes antes de admitir a sua entrada. A medida foi tomada para prevenir o contágio e, apesar de ter se mostrado positiva, ainda trazia um ponto de risco: a exposição daqueles que mediam a temperatura dos visitantes.

Para contornar esse risco, o time de engenheiros da DJI passou a estudar maneiras de adaptar seus drones que possuem câmeras infravermelhas para serem utilizados como uma espécie de termômetro. A maneira que encontraram foi a regulação da calibragem da câmera térmica infravermelha do drone, que, se feita da maneira correta, é capaz de permitir que o dispositivo realize uma leitura precisa da temperatura corporal dos indivíduos.

Apesar dos bons resultados encontrados pela equipe, é importante destacar que essa não é uma ação a ser aplicada em procedimentos médicos padrões – apenas em checagens rápidas como no caso da aplicação nos condomínios e prédios na China. Para conseguir coletar a temperatura de modo preciso, é necessário seguir o processo de calibragem corretamente (aos interessados, a fabricante de drones fornece informações sobre o procedimento. Basta fazer a requisição ).

Esterilização de áreas públicas

Segundo informações da OMS (Organização Mundial da Saúde), espaços públicos – como praças, parques, estações de metrô e outros – são locais com grande potencial de contaminação. Isso porque uma das características do coronavírus é conseguir sobreviver por horas, às vezes dias, em superfícies como mesas, cadeiras e outros objetos de superfície duras e sólidas.

Para diminuir os riscos de disseminação em espaços públicos, autoridades de saúde na China utilizaram drones para esterilizar uma área de, aproximadamente, 3 milhões de metros quadrados em Shenzhen. Para isso, fizeram uso da linha de drones “Agras”, comumente utilizada no setor de agricultura. Para levar a missão adiante, bastou colocar desinfetante no lugar de pesticidas e operar os aparelhos de maneira a cobrir todo o espaço público almejado.

Embora a eficácia deste novo processo de esterilização ainda esteja sendo medida para calcular os resultados de maneira precisa, a velocidade e as áreas cobertas no processo são incomparáveis. Com um tanque de 16 litros, drones de pulverização podem cobrir uma área de 100.000 metros quadrados em apenas uma hora.

Compartilhe