E o Capitão América, que tinha um iPhone 6S até hoje? | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Smartphones » E o Capitão América, que tinha um iPhone 6S até hoje?

E o Capitão América, que tinha um iPhone 6S até hoje?

Compartilhe

Você, proprietário de um iPhone 6S, pode dizer a partir de agora que tem algo em comum com ninguém menos que o Capitão América.

O iPhone 6S foi apresentado pela Apple em 2015, e só será descontinuado de forma oficial agora, em 2022. Foram sete longos anos de vida útil para um dispositivo que, se não entra na lista dos melhores smartphones da história da empresa da maçã mordida (pois chegou ao mundo para corrigir alguns problemas do iPhone 6, incluindo o famigerado “bendgate”), ao menos tem o seu lugar no coração de muitos usuários, por ser o favorito de muita gente.

E dentro desse grupo de pessoas que adorava o iPhone 6S, um nome veio à tona: Capitão América… ops, desculpe… quero dizer… o ator Chris Evans.

 

 

 

Por que o iPhone 6S vai morrer?

Muitas das pessoas que estão por dentro do mundo Apple já sabem o que aconteceu aqui, mas sempre tem aquela parcela de leigos (incluindo agora Chris Evans) que podem ser pegos de surpresa. Então, para já prevenir os mais desavisados, vale a pena revisar o que está acontecendo.

A Apple apresentou recentemente o iOS 16, a mais recente versão do sistema operacional móvel para o seu iPhone. Esse software vai trazer uma série de novidades e customizações que estarão disponíveis (muito provavelmente) no ato do lançamento da nova família de smartphones da empresa, representado pelo iPhone 14 e todas as suas variantes.

O novo iOS 16 é compatível com o iPhone 8 ou superior, e essa decisão da Apple faz com que os modelos iPhone 6S, iPhone 6S Plus, iPhone 7 e iPhone 7 Plus sejam automaticamente descontinuados, encerrando o seu ciclo de vida depois de anos e anos de atualizações.

Tudo bem, eu sei que o Chris Evans está um tanto quanto chateado neste momento, e a boa notícia para ele é que existe uma galera que está com ele no sofrimento. O iPhone 6S era o telefone principal de muita gente que, a partir de agora, terá como missão ingrata procurar um novo smartphone da Apple para chamar de seu.

Por outro lado, não há motivos para reclamações. Diferente de qualquer fabricante de smartphones Android do mercado (por melhor que seja, incluindo marcas “lendárias” como Positivo e Multilaser), a Apple entregou nada menos que sete longos anos de atualizações para o iPhone 6S. É um recorde absoluto para um dispositivo de telefonia móvel da era moderna (da era do smartphone).

Logo, o mundo da tecnologia precisa avançar. O iPhone 6S durou tempo demais no mercado, e precisa ser aposentado para que o iOS continue a sua evolução, aproveitando dos benefícios de dispositivos com um hardware mais potente e capaz. Logo, os usuários da Apple precisam mesmo é agradecer pelos serviços prestados pelo dispositivo, e também pelo fato da empresa não se valer da obsolescência programada para invalidar dispositivos que ainda podem ser úteis nas mãos dos usuários…

…tal e como costumam fazer vários fabricantes de smartphones Android… não é mesmo, Motorola?

Mas antes que eu comece a receber processos em série de fabricantes de smartphones, vamos dissertar um pouco sobre a decisão de Chris Evans em manter um iPhone 6S em funcionamento até hoje.

 

 

 

Faltou dinheiro para esse homem?

Chris Evans decidiu compartilhar nas redes sociais uma foto do seu antigo iPhone 6S em processo de transferência de dados para um novo iPhone (supostamente o iPhone 13), acompanhada de um texto de despedida para o velho amigo.

Frases lacônicas como “Descanse em Paz, iPhone 6S”, “Tivemos uma boa jornada” e “Foi um passeio selvagem. Fique tranquilo, amigo.” estão presentes no texto, que também faz ênfase para todos os problemas que o dispositivo entregava para a rotina diária do ator, como bateria drenando em poucos minutos, fotos granuladas ou dificuldades em fazer iniciar o processo de recarga de bateria.

As frases são um tanto quanto bregas, mas poderiam ser ditas pelo Capitão América para se despedir do Homem de Ferro no final de Vingadores: Ultimato. E como estamos falando de um ator que interpretou por anos um dos personagens mais populares de uma das franquias cinematográficas mais bem sucedidas de todos os tempos, as piadas nas redes sociais foram inevitáveis.

Alguns afirmaram que a relação entre Chris Evans e um iPhone 6S é uma história de amor melhor do que Crepúsculo. Já a operadora de telefonia móvel T-Mobile perguntou para o ator se ele ficou congelado no gelo ou algo parecido, pois só isso justificaria alguém a manter um iPhone 6S até hoje. E até um vídeo dos melhores momentos do smartphone da Apple com o intérprete do Capitão América foi publicado no Twitter.

Tudo em nome da zoeira, evidentemente.

Tá, eu sei que é divertido tirar sarro de alguém que tem uma pilha de dinheiro na sua frente e usa o mesmo smartphone que um quebrado como você. Por outro lado, isso me faz pensar nas reais motivações de Chris Evans em permanecer tanto tempo com o mesmo smartphone.

E vou além: por que Chris Evans permaneceu tanto tempo com o mesmo iPhone? E esse questionamento é mais importante do que pode parecer.

 

 

 

Mais uma prova da alta qualidade da Apple

Além do fato de Chris Evans demonstrar um forte traço de humildade por entender que não precisa trocar de iPhone o tempo todo para se sentir alguém especial na vida (basta interpretar um dos mais importantes heróis da Marvel nos cinemas), esse episódio mostra mais uma vez que a alta qualidade do iPhone no que se refere à manutenção e longevidade do dispositivo é mesmo algo único no mundo da telefonia móvel.

Vou repetir o que escrevi um pouco antes neste texto: os usuários do iPhone 6S não podem reclamar muito. Precisam mesmo é agradecer a Apple oferecer um hardware de qualidade tão alta que segue funcionando bem depois de sete anos de uso. Além disso, a otimização implementada no iOS é algo digno de aplausos, e dificilmente o Android vai chegar neste ponto de excelência.

Todo mundo sabe que a Apple desenvolve um sistema operacional móvel pensado especificamente nos seus smartphones. E são poucos modelos ou variantes que esse software terá que identificar, gerenciar e otimizar. Algo muito diferente do Android, que possui um enorme universo de dispositivos com configurações muito diferentes, o que torna a missão desse software em funcionar bem em todos os telefones disponíveis algo absurdamente complexo.

O iPhone 6S ter sobrevivido a nada menos que seis gerações do iOS (sete, quando consideramos a versão presente na sua chegada ao mercado) é uma verdadeira vitória para a Apple. O bônus disso veio em forma de propaganda positiva gratuita com esse relato compartilhado pelo Chris Evans.

No final das contas, é legal saber que o Capitão América era humilde o suficiente a ponto de usar o mesmo smartphone que o cara que entregou a pizza que pedi no iFood na última quarta-feira. E, não me entenda mal, não quero diminuir o motoboy entregador. Pelo contrário: ele tem o mesmo smartphone que o Capitão América, e eu não.

Sem falar que, nesse exato momento, usuários da Motorola estão bufando de inveja do entregador de pizza do iFood, pois nem mesmo aquele telefone top de linha da marca lançado em 2022 está com atualização garantida para o Android 12.

E… só para lembrar… o Android 13 vem aí, tá?


Compartilhe
@oEduardoMoreira