O atual governo brasileiro é meio neurastênico (o próximo também vai ser, independente do vencedor). Depois de decidir que o início do horário de verão seria adiado para o dia 18 de novembro por causa do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), o Ministério da Educação voltou atrás, e a mudança de fuso vai acontecer mesmo em 4 de novembro.

A minha infelicidade aqui está restrita ao acompanhar os eventos esportivos nos Estados Unidos e em outros locais do planeta. Acordar uma hora mais cedo e dormir uma hora mais tarde não é uma das coisas mais saudáveis que eu posso querer para mim a essa altura do campeonato.

Logo, o meu motivo é meio fútil.

Mas… e a turma do ENEM? Como é que fica.

Olha, eu até poderia ser solidário com a causa deles. Entendo que é realmente complicado ter que acordar horas mais cedo para fazer uma prova importante.

Mas…

Em tese… eles não teriam que acordar cedo de qualquer maneira?

Aliás, a neurastenia do governo brasileiro faz com que, de forma interessante, a discussão sobre a importância da organização individual volte a ganhar destaque. Provavelmente o governo, que nesse momento é mais padrasto do que pai, entendeu que o ENEM é um dia só (na verdade, dois domingos), e que todo brasileiro minimamente comprometido com o próprio futuro precisa cumprir com todas as regras previamente estabelecidas, superando os próprios obstáculos, inclusive aquele que envolve a mudança de fuso horário.

Será que pesou nessa decisão todo o histórico de atrasos e desculpas por motivos patéticos que testemunhamos nos últimos anos?

Logo, podemos nos preparar para uma edição mais generosa do #ShowDosAtrasados em 2018. E, especialmente esse ano, não vamos nos valer da hipocrisia e fingir que não vamos testemunhar as pessoas se ferrando lindamente quando chegarem atrasadas nos colégios onde as provas vão acontecer.

Você gosta disso. E eu também.

Mas que o governo brasileiro quis ferrar só mais um pouquinho, isso é fato.

O que não muda o fato que é obrigação do candidato que vai fazer a prova do ENEM chegar no horário. Simples assim.