A E3 2018 começou lá atrás, quando vários vazamentos revelados jogos até então desconhecidos, ou com as próprias empresas, para evitar a saturação de trailers, apresentaram novos produtos antes do evento.

Isso faz sentido na era da internet. Mas para os fãs de games, a E3 é sempre o Natal antecipado, e esperava algo maior das empresas. E isso não aconteceu, pelo menos não da forma que se esperada.

A E3 2018 foi modesta nos anúncios de novos produtos ou nome sde grandes franquias, e isso pode ter uma explicação lógica: o fantasma dos novos consoles pairando no ar.

Os estúdios já devem estar trabalhando nos projetos que não serão lançados no PS4 ou Xbox One, mas sim em seus sucessores. Isso explica a ausência de novidades, mesmo com algumas coisas interessantes nos títulos. E, mesmo assim, os projetos desconhecidos mais interessantes não contam com data de lançamento anunciadas.

Na Microsoft, o mais importante anúncio foi o da compra de novos estúdios. Sekiro: Shadows Die Twice era sim um desconhecido, mas é um jogo multiplataforma. Vários jogos não contam com data de lançamento, o que indica desenvolvimento em curso.

Nas demais empresas, o comportamento foi o mesmo, e o foco geral dos desenvolvedores foi muito conservador. Logo, a sensação que a E3 2018 deixou é que a geração atual de consoles está mesmo chegando ao fim, e que 2019 será o último ato dessa geração.

Muitos dos títulos anunciados chegarão ao mercado em 2019, o que dá tempo para todo mundo guardar dinheiro para as compras.

Porém, depois de 2019… tudo novo.

A Microsoft revelou publicamente que o novo Xbox está em desenvolvimento, e a Sony quer fazer de 2020 um ano importante para a divisão PlayStation.

Ou seja, 2019 pode ser um ano chave para as duas, que caminham para uma única direção: uma nova geração de consoles. O comportamento das duas é parecido com o que vimos em 2012, ano em que a E3 recebeu poucas surpresas e anúncios especiais.

E todo mundo sabe o que aconteceu em 2013.