Compartilhe

Em pleno 2020, com as bateria de ion-lítio no auge, e ainda precisamos utilizar pilhas alcalinas. Antes, elas serviam para baratear o energizar de diferentes dispositivos, substituindo com eficiência as baterias de níquel cádmio (NiCd) ou de níquel metálico (NiMH), que sofriam do efeito memória e da enorme degradação.

Mas agora… qual é o sentido disso?

As pilhas hoje são um enorme pequeno problema para o meio ambiente, pois sua reciclagem correta é complicada. E, apesar das baterias de lítio atuais serem um ‘mais do mesmo’ nesse aspecto, ao menos são recarregáveis, chegam integradas aos dispositivos e são mais eficientes.

Aliás, eu sou o cara que defende qualquer gadget que conta com baterias e tomadas. Mas não vamos nos livrar das pilhas tão cedo, por causa da lista de produtos abaixo.

 

 

 

Brinquedos para crianças

 

 

A maioria dos brinquedos infantis contam com pilhas AA ou de botão. Em alguns casos, incluem um pack com pilhas recarregáveis, o que é um alento. Mas em regra, só as pilhas comuns mesmo.

 

 

 

O controle do Xbox

 

 

Um excelente controle de videogame ainda usa pilhas alcalinas AA. E isso vai continuar com o controle do Xbox Series X. Não faz o menor sentido, mesmo oferecendo mais liberdade ao usuário. Vir com a bateria recarregável integrada e como padrão deveria ser a regra nesse caso.

 

 

 

O controle da TV e de quase qualquer eletrodoméstico atual

 

 

Hoje, qualquer TV possui uma porta USB. Logo, os controles podem ser recarregados por uma bateria convencional durante alguns minutos (ou durante a noite), reduzindo assim o consumo de pilhas. O mesmo pode acontecer com controles de aparelhos de ar condicionado, que ainda usam pilhas alcalinas AAA.

 

 

 

Mouses e teclados sem fio

 

 

Por regra, mouses e teclados sem fio usam pilhas AAA e AA. Alguns periféricos até contam com baterias que podem ser recarregadas via USB, e que ótimo que seja assim. Mas a grande maioria ainda usam pilhas. Se livrar dos cabos é ótimo, mas padronizar um sistema de recarga de bateria via USB não seria uma má ideia.

 

 

 

Lanternas

 

 

As lanternas, principalmente as mais simples, seguem utilizando pilhas alcalinas. Já algumas das lanternas mais potentes recebem baterias recarregáveis. Por que não padronizar aqui também?

 

 

 

Rádios portáteis

 

 

Muitos ainda seguem ouvindo rádio por um dispositivo dedicado e portátil, em um produto que está entrando em extinção. Porém, a maioria dos rádios portáteis ainda usam pilhas. Quem sabe ele não receberia uma sobrevida se contasse com uma bateria recarregável.

 

 

 

Relógios de parede

 

 

São raros os relógios de parede que não funcionam com pilhas. A “boa” notícia disso é que esses relógios não consomem muita energia, o que faz com que as pilhas durem muito mais tempo.

 

 

 

Balanças digitais

 

 

Algumas balanças podem ser recarregadas via USB, mas a maioria segue funcionando com pilhas AA. De novo, são dispositivos que não consomem muita energia, mas justamente por isso seria mais útil integrar uma bateria recarregável nesse caso.

 

 

 

Detectores de fumaça

 

 

Muitos detectores de fumaça usam pilhas do tipo 9V (as mais gordinhas), e a imensa maioria já inclui o item no kit de venda. Também são produtos que não consomem muita energia, o que faz com que ele dure por anos. Quem sabe é um dos poucos onde as pilhas devem permanecer, pois desmontar esse produto para uma recarga de bateria não é uma das coisas mais práticas.


Compartilhe