Compartilhe

George Hilliard, engenheiro de sistemas integrados especializado em integrar componentes em dispositivos diminutos, apresentou ao mundo um cartão de visita que é algo simplesmente espetacular, por ser um cartão que integra os componentes necessários para ser um PC quando você precisa de um.

Ou seja, esse cartão integra o Linux e todo o hardware de um PC, mostrando o milagre que é a miniaturização e um sistema operacional que se adapta a virtualmente qualquer formato e necessidade. E tudo isso, em um microcomputador de tamanho ridículo e preço mais ridículo ainda: apenas US$ 3.

Vamos conhecer nesse post como o Hilliard chegou nesse milagre.

 

 

Um microcomputador que custa apenas US$ 3

Ele revela que viu outros cartões de visita com componentes eletrônicos integrados. Muitos deles se comportavam como unidades USB de memória e outras como curiosos instrumentos musicais, mas nenhum chegou a ser tão genial quanto um PC funcional em um cartão de visita.

Para isso, Hilliard integrou a porta USB que serve para conectá-lo a um computador, e se iniciamos esse dispositivo (ou melhor, cartão de visita), ele inicia uma sessão Linux em apenas seis segundos. Essa sessão mostra a unidade Flash e uma porta de série virtual que permite que você abra um terminal de comandos para interagir com este PC.

Hillard conseguiu integrar um arquivo Read Me, uma cópia de seu CV (Curriculum Vitae), alguns dos seus trabalhos fotográficos e até jogos clássicos do Unix. Para isso, ele utilizou um processador ARM e um pequeno chip flash de 8 MB que cabem no gestor de inicialização ou bootloader (256 KB), o kernel do sistema (1.6 MB) e o sistema de arquivos raiz (2.4 MB).

O espaço restante é para o usuário, que pode armazenar arquivos pessoais sem problemas. E o milagre fica ainda mais milagroso quando pensamos que todos os componentes utilizados custaram apenas US$ 3.

 

 

Muito barato, mas muito funcional

O processador escolhido para o projeto é o Allwinner F1C100, que inclui tanto a RAM como a CPU. Os PCBs foram encontrados pelo serviço JCL. Um forno especial integrou todos os componentes, e uma ferramenta de recorte laser foi utilizado com precisão para entregar o resultado adequado para que as conexões funcionassem corretamente.

Também é igualmente surpreendente o fato de tudo ser soldado e colocado a mão em um processo quase artesanal e livre de substâncias perigosas em aparelhos eletrônicos. O resultado final disso só pode ser algo surpreendente, mas com algumas limitações óbvias e importantes.

O cartão de visita em forma de PC não possui portas de entrada/saida ou conectividade a redes, muito menos muito espaço disponível. Mas o fato de iniciar uma sessão Linux e rodar jogos clássicos, ou até mesmo de usar um pequeno interpretador Python é algo realmente chamativo.

Seu criador oferece todos os esquemas de montagem e o código fonte do projeto em seu blog, o que vai permitir que qualquer pessoa que é fã desse campo da informática possa criar o seu próprio cartão de visitas, ou até mesmo melhorar aquele cartão criado por Hilliard. Independente da escolha feita, estamos diante de um pequeno milagre tecnológico.


Compartilhe