Um estudo metodológico da USC Annenberg School for Communication and Journalism sugere que todo o ódio liberado pelas pessoas na internet por causa de Star Wars: Os Últimos Jedi foi obra de um exército de bots e trolls.

Os investigadores analisaram 967 tweets selecinados de um mesmo número de contas, com mensagens dirigidas ao diretor do filme Rian Johnson, durante o período entre 13 de dezembro de 2017 e 20 de julho de 2018.

O estudo revela que 50,9% das contas que escreviam de forma negativa sobre Os Últimos Jedi tinham “motivações políticas ou inclusive não eram humanos”.

Mais da metade que ofendeu Rian Johnson no Twitter eram bots, trolls, sock puppets ou ativistas políticos que se valiam do debate nas redes sociais para propagar suas mensagens políticas.

Usavam as mensagens para apoiar as causas de extrema direita, assim como a discriminação de gênero, raça ou sexualidade. Alguns desses usuários até pareciam ser trolls russos.

Apenas 10,5% das mensagens analisadas eram críticas diretas contra o cineasta e vinham de contas reais. Os demais apenas aproveitavam o Trending Topics para impulsionar a sua agenda de conteúdos.

Ou seja, trolls e bots ajudaram a manipular o barulho gerado pelo filme.

Conclusão: se está difícil saber se um filme foi odiado de verdade, que dirá um político?

 

Para mais detalhes sobre o estudo, clique aqui.