Compartilhe

outubro-rosa-3

O câncer segue sendo uma das maiores mazelas da humanidade, e é um dos grandes desafios da medicina moderna. Porém, um dos tipos de câncer que ainda podem ser combatidos quando detectados com antecedência é o câncer de mama. Aliás, é genial o fato de nós, seres humanos ditos racionais, sermos capazes de, com um simples toque, evitar que uma doença como essas consuma o nosso corpo.

Por causa disso, eu apoio o “outubro rosa”. A campanha que visa conscientizar as pessoas (e aqui não coloco apenas as mulheres nesse grupo: nós homens, pais, maridos, filhos, amantes e derivados, também precisamos ter essa consciência para ajudar as mulheres da nossa vida) da necessidade do auto-exame e das medidas preventivas em relação ao câncer de mama é uma das causas que cada um de nós podemos apoiar sem pensar muito.

Eu digo isso não pelo fato de ter parentes e amigas que foram vitimadas pelo câncer de mama (mas conseguiram se salvar pelo diagnóstico prévio). Mas porque é um daqueles atos de amor ao próximo que não praticamos sempre. E, em muitos casos, ao próximo que nem precisa ser tão próximo assim.

A boa notícia é que vivemos em 2013. As mulheres lidam melhor com o seu corpo, a censura acabou (bom, quero dizer… mais ou menos acabou…), e podemos falar desses assuntos de forma mais livre e adulta, sem parecer adolescentes retardados, cheios de espinhas na cara e que nunca viram um peitinho na vida (tá, de novo, a maioria de nós… tem alguns que não saem da puberdade nunca…). Logo, assim como em outras mazelas da humanidade, a principal maneira de se prevenir contra o câncer de mama é com a informação.

A busca de um profissional de saúde para se informar sobre o auto-exame, a busca de um médico se alguma anormalidade for detectada, a busca pela informação sobre o tratamento adequado… em um mundo onde você descobre no Google a receita de um Big Mac, não há mais desculpas para você não se informar sobre como evitar que uma das doenças mais tristes da história da humanidade não vitime aqueles que você mais ama. E até aquelas que você mais odeia, por que não? Até as inimigas merecem um pouco de compaixão nessas horas.

E por causa desses e outros motivos, eu apoio o “outubro rosa”. Apoio toda e qualquer causa que tem como objetivo salvar vidas. Disseminar a informação positiva. Aquilo que ajuda. Que contribui para um mundo melhor. Pode parecer pouco aos olhos de alguns que reclamam de tudo e não fazem nada, criticando tudo e todos atrás dos seus MacBooks aproveitando o Wi-Fi grátis de uma Starbucks, enquanto ouvem Florence + The Machine no seu iPhone conectado à um fone da Beats Audio (e este é o cenário mais hipster do mundo).

Mas para mim, é algo importante. E é isso o que importa.


Compartilhe