whatsapp-offline

Não que eu esteja sentindo falta do WhatsApp nesse exato momento (muito pelo contrario – e explico isso daqui a pouco), mas o aplicativo recém comprado pelo Facebook está fora do ar. Coincidência? Pode ser. Mas é mais uma oportunidade de piada pronta no mundo tech.

Normalmente, quando uma grande corporação adquire uma empresa menor com uma ideia interessante, sempre fica aquela pergunta: “o que vai ser daquele serviço que eu utilizava todos os dias”. Eu tento ser racional sobre o assunto, e não ficar alimentando as teorias conspiratórias. Penso que as coisas não vão mudar, e que nenhuma grande empresa é burra em mudar o perfil de uso que estava dando certo antes.

Não acho que Zuckerberg é burro ao ponto de mudar as regras do jogo com o WhatsApp. Porém, com as inoperância do serviço de mensagens instantâneas no dia de hoje (22), é impossível não pensar na expressão…

Começou…

Tá, pode ser uma falha momentânea. Pode ser mera coincidência. Mas… já pensou? Você paga US$ 19 bilhões em um serviço, e três dias depois, ele para de funcionar. Qualquer um vai procurar o Procon para ter o dinheiro de volta, certo? Depois de xingar muito no Twitter, é claro…

Como normalmente fico longe do computador no sábado, eu não me importei com o WhatsApp ter ficado offline o dia inteiro. Normalmente uso o serviço para resolver algumas questões do SpinOff, e nesse caso, a vida está encaminhada nas próximas duas semanas. Além disso, queria mesma descansar no sábado, sem ter o meu smartphone apitando a cada 40 segundos.

Mas não culpo os mais desesperados pelo serviço. Afinal de contas, quem quer voltar para o SMS? Gastar R$ 0.05 por mensagem (ou R$ 0.50 por mensagens ilimitadas) pra quê, se posso fazer isso “de graça”?

De qualquer forma, daqui a pouco o serviço volta ao ar, como se nada tivesse acontecido.

Enquanto isso não acontece… aproveite o sábado! Converse com alguém frente a frente! Vale a pena!