Facebook (Meta), a pior empresa de 2021: surpresa zero | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Internet » Facebook (Meta), a pior empresa de 2021: surpresa zero

Facebook (Meta), a pior empresa de 2021: surpresa zero

Compartilhe

Não adianta mudar de nome. A pessoa continua a mesma.

Ou, neste caso, a empresa.

É claro que a Meta (antes conhecida como Facebook) foi eleita a pior empresa de 2021, e com uma vantagem assustadora em relação ao segundo colocado. Mais de 50% dos votos na pesquisa realizada pelo Yahoo! Finance.

Enquanto a Microsoft recebeu o prêmio de melhor empresa do ano, a gigante controlada por Mark Zuckerberg fica com o prêmio nefasto de pior do ano. E nem mesmo a mudança de nome foi o suficiente para mudar este resultado.

E não mudaria de qualquer forma. Você pode ser rebatizado de João, mas vai continuar a ser o Godofredo que todo mundo conhece e zoa na hora do recreio.

 

 

 

Foi o povo que escolheu

O que torna a situação do Meta ainda mais vexatória é que a escolha da empresa como a pior de 2021 não aconteceu por conta de eventuais números negativos de usuários ou quedas no setor financeiro. A escolha foi feita pela votação popular. Ou seja, muito provavelmente foram os seus próprios usuários que a elegeram como uma perdedora em popularidade.

Isso aconteceu porque parte dos participantes da votação alegam que o Facebook está censurando as mensagens publicadas pelos adeptos das visões políticas de direita e extrema direita. Esse debate foi turbinado nos Estados Unidos e no Brasil, pelos motivos que vocês bem sabem.

Bom, enquanto essa galera não provar que liberdade de expressão está bem longe de defender o direito de mentir, o Facebook vai continuar a censurar discursos de ódio e preconceito, falas negacionistas e fake news.

Por outro lado, o Facebook não conseguiu em nenhum momento apresentar uma solução eficiente para evitar a disseminação de notícias falsas através de suas plataformas, mesmo sabendo que esta é uma ferramenta utilizada para intoxicar o debate político em diferentes países.

A negligência que o Facebook lida com crianças e adolescentes na disseminação de informação e na não prevenção aos comportamentos online que podem afetar de forma sensível a saúde mental dos mais jovens também ajuda a explicar a baixa popularidade da rede social.

E os diversos problemas que a plataforma teve que enfrentar ao não saber lidar com as informações corretas e falsas sobre a crise da COVID-19? Esse é mais um motivo que justifica o prêmio de pior para o menino Zuck e sua rede social.

 

 

 

Zuckerberg tenta limpar o seu nome a todo custo

A mudança do nome Facebook para Meta não aconteceu apenas para que Mark Zuckerberg introduzisse novas tecnologias de interação entre as pessoas com a ajuda da internet. Todo mundo sabe que o principal objetivo para essa mudança está na tentativa em reformular a imagem da empresa para investidores e usuários.

Entendo que essa é uma missão cada vez mais complicada, pois Zuckerberg basicamente precisa contar com uma lobotomia coletiva para que o Meta receba o protagonismo esperado nessa nova fase. Não dá para apagar o passado com uma simples mudança de nome. Ainda mais quando as marcas deixadas pelo antigo nome são bem profundas.

A escolha do Facebook como pior empresa de tecnologia em 2021 surpreende a um total de zero pessoas. Bom, quero dizer, minha mãe, que não entende muito de tecnologia, pode ter ficado surpresa.

Já quem testemunhou o escândalo do Cambridge Analytica não consegue se esquecer tão cedo do nome Facebook estampando todos os jornais e revistas do setor.


Compartilhe