Facebook perdeu usuários pela primeira vez em sua história: início do fim? | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Internet » Facebook perdeu usuários pela primeira vez em sua história: início do fim?

Facebook perdeu usuários pela primeira vez em sua história: início do fim?

Compartilhe

Eu sabia que um dia isso iria acontecer!

E não escrevo isso com um sorriso nos lábios, ou com o sentimento de satisfação invadindo a minha alma. Na verdade, é bem assim que eu estou me sentindo, mas não quero demonstrar de forma tão escancarada.

Pois bem, pela primeira vez em 18 anos de história, a rede social Facebook registrou queda no número de usuários. Algo esperado, já que os jovens estão abandonando a plataforma para gravar vídeos de dancinhas no TikTok.

Não que as avós desses jovens não estejam fazendo isso também, mas não na mesma velocidade que os usuários mais novos.

 

 

 

Menos usuários, mais dinheiro

O Facebook está hoje com 1.929 bilhão de usuários ativos por dia, 1 milhão de usuários a menos em relação ao trimestre anterior. Pode parecer pouco. E é. Mas ainda assim, é uma queda, o que faz com que o título deste post não seja necessariamente um click bait.

Mas o mais importante é olhar para os detalhes dessa queda, que representa um início de uma tendência inédita no Facebook. Desde que Mark Zuckerberg decidiu se vingar no campus da universidade, essa rede social só ganhou usuários. Jamais perdeu.

Mas… tudo o que sobe um dia tem que descer.

A queda maior foi registrada nos Estados Unidos e Canadá, além da categoria Resto do Mundo (o Facebook separa Europa e Ásia/Pacífico dos demais continentes).

Por outro lado, acho que Mark Zuckerberg não está muito preocupado com o dinheiro que deixou de ganhar neste primeiro momento, já que cada usuário passou a valer US$ 11.57 para o Facebook. Antes, esse valor era de US$ 10.

O resultado disso? Acionistas assustados e queda de ações das marcas relacionadas.

Só as ações do Meta (que, sinceramente, não sei se vinga) caíram 20%. A Facebook Reality Labs, divisão de hardware da empresa responsável pelo Oculus Quest, perdeu US$ 3.3 bilhões no último trimestre do ano, aumentando os prejuízos totais deste departamento para US$ 10 bilhões.

Sem falar que o Facebook está neste momento culpando a Apple pela queda de suas receitas, já que a gigante de Cupertino não mais permite que a rede social fique rastreando dados que nem uma alucinada no iPhone.

E isso gerou mais um prejuízo de US$ 10 bilhões para Mark Zuckerberg.

 

 

 

E agora, menino Zuck?

O cenário do Facebook não é algo desesperador, mas como você pode ver, por trás de uma queda de audiência existem vários outros detalhes que os seus olhos cheios de remela após uma madrugada de jogatina no computador não podem ver.

É óbvio que uma empresa do tamanho da Meta precisa de muitos problemas para despencar de vez, e não acho que este seja necessariamente o caso aqui. Porém, investidor nenhum gosta de perder dinheiro. Nem que seja US$ 0,10 no troco das compras no Walmart.

As perdas bilionárias do Facebook e as incertezas que o Metaverso já começam a gerar podem ser problemas periféricos quando comparado com a queda de audiência da rede social. Queda essa que, neste momento, é residual. Mas que é uma tendência bem clara.

Os mais jovens estão abandonando o Facebook, e não é de hoje. Instagram e TikTok são as plataformas preferidas do público com 25 anos ou menos. E esse é um grupo que interessa (e muito) aos anunciantes.

Já o Facebook virou de vez o terreno da turma da melhor idade. E não que Mark Zuckerberg seja preconceituoso com as velhinhas que querem trocar receitas de bolo com as amigas. O problema é que esse é um grupo que tende a gastar menos com o passar do tempo.

Outro fator que Zuckerberg precisa considerar está nas perdas de usuários que a rede social teve por conta da própria pandemia. Infelizmente, conheço muitas pessoas que perderam a vida nos últimos dois anos, e a esmagadora maioria dessas pessoas tinha 60 anos ou mais.

De qualquer forma, o TikTok está lá, ganhando mais e mais audiência.

E agora, menino Zuck? O que você vai fazer?


Compartilhe
@oEduardoMoreira