black friday

Nunca a fraude na famigerada Black Friday brasileira foi tão descarada.

Nos últimos anos, eu me entusiasmei com o movimento de grande período de descontos da sexta-feira pós Dia de Ação de Graças. Um costume importado dos norte-americanos que até que viria bem a calhar para um país onde a carga tributária chega a níveis estratosféricos.

Porém, infelizmente, constatamos que, na realidade, a Black Friday no Brasil é uma autêntica fraude. Sempre foi. E, em 2017, a coisa é bem descarada.

Lá nos States, a Black Friday é uma tradição que logistas e consumidores levam muito a sério. A queda nos preços é agressiva, e até vale como uma forma de estimular as vendas para o final do ano, alimentando o vício de consumo do norte-americano médio. Ou pelo menos fazendo aqueles que não aproveitaram a sexta-feira maluca de queima de estoque irem até as lojas alimentar o consumismo que vive dentro deles.

Já no Brasil, temos um período de vendas onde é, literalmente, tudo pela metade do dobro. Não basta mais usar a tática de, na semana da Black Friday, todos os preços dos produtos mais visados pelos consumidores dispararem de preço para depois voltar aos valores originais, com “descontos agressivos”.

A tática agora é nem disfarçar que aquele sempre foi o preço real do produto, sem aplicar desconto algum, basicamente.

Durante os intervalos comerciais do horário nobre da TV (aka intervalos das novelas da Globo), foi um arsenal de propagandas enganosas. Para a ruína desses anunciantes, como as propagandas foram exibidas uma atrás da outra, era possível comparar preços de produtos similares ou iguais nas suas especificações.

Por exemplo, smartphones da Motorola com valores entre R$ 690 e R$ 699 reais, sendo que o modelo sempre custou isso. Ou seja, sempre custou essa merreca que estavam cobrando. Sempre foi esse o preço oficial do produto.

Máquinas de lavar que custam o que sempre custaram, e Smart TVs que custam apenas R$ 100 a menos do que o preço original.

O descaramento dos logistas é enorme. E isso nem deixa o processo de Black Fraude Brasil irritante ou nefasto, mas sim cansativo.

Me cansei de ver tantas propagandas fraudulentas. Me cansei de me envolver com um processo fraudulento de “ofertas imbatíveis” e “preços alucinantes”.

Simplesmente decidi ignorar a Black Friday Brasil 2017. Porque ela não existe.

Para mim, será um dia como outro qualquer.