Galaxy Note tem futuro depois do Galaxy S21 Ultra?

Compartilhe

Meu plano original era comprar o Samsung Galaxy Note 10 ou Galaxy Note 10+ em outubro ou novembro. Principalmente em novembro, durante a Black Friday. E eu sempre quis ter um Galaxy Note, pois o formato de interação com a caneta na tela é algo atraente, sofisticado e produtivo para mim.

Pode me julgar, Steve Jobs (que lê o meu blog direto de seu túmulo). Eu sou um cara que quer interagir com uma caneta em uma tela de smartphone.

Mas quis o destino que eu investisse o meu suado dinheiro em um POCO F2 Pro, que custou até mais caro que o Galaxy Note 10+ na época da compra. Porém, entendi que era um investimento melhor a se fazer. E não me arrependo por isso. É um ótimo smartphone.

Agora, eu ainda quero um Galaxy Note. Mas… será que meu dinheiro estará melhor investido no Galaxy S21 Ultra, que é compatível com a S Pen?

E… será que a linha Galaxy Note ainda tem futuro?

 

 

 

Agora, tudo é Note para a Samsung

 

 

Está mais do que claro para todos nós que a Samsung entendeu que os usuários gostam da proposta da linha Note, e quer essa mesma proposta em dispositivos considerados menos caros. E nada melhor do que iniciar essa nova fase no modelo mais caro entre os seus telefones top de linha, por mais contraditório que isso pareça.

A aceitação da S Pen se deu por conta da experiência de uso diferenciada da proposta da linha Note em relação às demais. Não basta colocar uma caneta e fazer o usuário escolher ícones e escrever na tela com a sua caligrafia de assassino psicopata. É preciso colocar recursos e funcionalidades que realmente justificam a presenta da caneta inteligente.

E a linha Galaxy Note fez isso muito bem até agora.

 

 

A concorrência também entendeu isso. A LG lançou modelos de smartphones intermediários com caneta apontadora como acessório, e até a Apple (quem diria) decidiu tornar os seus iPads compatíveis com a Apple Pencil, em todas as suas categorias.

Há quem diga que a Apple vai tornar essa caneta compatível com o iPhone no futuro, mas não há nada oficial sobre isso.

Agora, a dona Samsung confirma que outros modelos de smartphones de linhas menores vão receber a compatibilidade com a tão desejada S Pen, entregando aquilo que a maioria dos usuários que sempre desejaram esse tipo de interação queria.

Mas… será que vai entregar tudo mesmo?

 

 

 

O que vai sobrar para a linha Galaxy Note?

 

 

Olha, é difícil mensurar alguma coisa neste sentido, mas algumas coisas ficam muito claras depois do Samsung Unpacked realizado na semana passada.

Um dos últimos grandes diferenciais entre as linhas Galaxy S e Galaxy Note desapareceu, uma vez que os novos modelos da família Galaxy S21 passam a ser compatíveis com a S Pen, e o Galaxy S21 Ultra já conta com o acessório no kit de venda (que não vem com carregador e fones de ouvido em todos os novos modelos – é sempre bom lembrar este detalhe).

 

 

Ao longo dos anos, as distâncias entre as duas famílias de smartphones top de linha da Samsung foram diminuindo, a ponto dos dois modelos se tornarem praticamente idênticos nas especificações técnicas e, agora, no conceito geral e experiência de uso.

Logo, não é um absurdo pensar que a família Galaxy Note está fadada ao desaparecimento. Pois não faz muito sentido a Samsung manter no mercado dois dispositivos que são tão parecidos que podem ser considerados iguais.

 

 

A única diferença ainda existente está na experiência de uso específica com a S Pen. Alguns recursos muito particulares da linha Galaxy Note que não devem estar na família Galaxy S21 e, ainda assim, essas diferenças podem virar fumaça com uma simples atualização de software.

Por isso, posso dizer hoje que estou feliz em não ter investido meu dinheiro em um Galaxy Note no final do ano passado. Afinal de contas, se a Samsung descontinuar esta família de produtos em 2021, este dispositivo fatalmente perderia valor de mercado.

E, pelo menos para mim, comprar um smartphone top de linha ou premium é um investimento. Em diversos aspectos.

 

 

Via Samsung


Compartilhe