galaxy s9

A Samsung vai apresentar os novos Galaxy S9 e Galaxy S9+ no Brasil em 27 de março, em um evento a ser realizado em São Paulo. E a pergunta mais óbvia que todos começam a fazer é: quanto a brincadeira vai custar?

Todo mundo sabe que a barra de preços dos smartphones premium no Brasil subiu com os valores que a Apple cobra de forma oficial para o iPhone X. Eu sei que você pode comprar esse smartphone por um preço consideravelmente menor via importação, mas os fabricantes não estão muito interessados nisso.

Logo, lidando com a realidade dos fatos, o Galaxy S8 em 2017 alcançou com certa facilidade a casa dos R$ 4 mil (R$ 3.999 para o Galaxy S8, R$ 4.399 para o Galaxy S8+). Os dois modelos tiveram os seus valores drasticamente reduzidos ao longo dos meses, e hoje podem ser encontrados com valores iniciais de interessantes R$ 2.600.

No meu mundo perfeito, um smartphone top de linha teria que custar mais ou menos R$ 2.500. Por isso, no meu mundo perfeito, eu só compraria o Galaxy S8 agora. Ou, no meu caso, em 2019, já que acabei de pegar um Galaxy S7 Edge de 128 GB, que vai me atender bem por algum tempo.

Mas… e os novos Galaxy S9 e Galaxy S9+? Quanto custarão no ato do seu lançamento?

Eu aposto em algo acima dos R$ 4 mil, mas abaixo dos R$ 5 mil. Entendo que será uma vitória se um smartphone atualizado (pouco, mas com novas tecnologias de câmera relevantes) chegar ao mercado com os mesmos valores dos seus equivalentes do ano passado.

Aí seria a Samsung repetindo a estratégia da Apple, mas dessa vez do lado positivo.

Além disso, precisamos lembrar sempre que todos os fabricantes de smartphones Android colocam os valores dos seus dispositivos lá em cima no ato do seu lançamento por entenderem que os early adopters devem pagar a mais pelo afã de serem os primeiros a adquirirem os novos produtos. Ter uma exclusividade e ostentação nessa vida exigem um certo investimento, ou um preço a pagar.

Por tudo o que vimos nos últimos anos, os valores iniciais dos novos top de linha da Samsung devem assustar (ou não), gerar alguns falatórios nos primeiros dias, e depois despencar nos números. Tal e como aconteceu nos últimos anos.

Logo, ninguém precisa tomar calmante no dia 27 de março. Não teremos surpresas que resultem em uma parada cardíaca nos números que a Samsung vai apresentar.