Aí não dá!

Não sou um cara conservador, definitivamente. Ainda mais depois de tudo o que vimos nos últimos 60 dias. Sou anarquista, revolucionário, polêmico. Exploro a minha sexualidade de várias formas e maneiras, dentro das minhas convicções de ser humano heterossexual. E minha mente é aberta para qualquer manifestação nesse aspecto. E considero justa toda forma de amor.

Mas… Golden Shower não dá!

Eu sou o cara que já fez sexo em local público. Quem nunca? Porém, eu me certifiquei que não seria uma cena de sexo explícito. Ou que pelo menos eu não facilitaria para ser flagrado em pleno ato. Logo, a prática do Golden Shower (e, se você não sabe o que é, procure no Google, pois não sou eu que vou explicar) em público já é condenável.

Agora, o que pensar da pessoa que, na tentativa patética de pagar de moralista e conservador, compartilha esse tipo de conteúdo nas redes sociais, achando que está dando lição de moral mas, na verdade, apenas está compartilhando um conteúdo pornográfico e escatológico para todos os tipos de pessoas?

Sabe… crianças acessam as redes sociais. Senhoras de idade, religiosos. Pessoas que não são obrigadas a acessar esse tipo de conteúdo. Para mim, qualquer pessoa que compartilha conteúdos adultos abertamente nas redes sociais só pode ser doente.

Sem falar na distorção de narrativa. Dá a entender para o mundo todo (sim, pois a pessoa se esqueceu que as redes sociais contam com um alcance global) que o carnaval brasileiro é um antro de exposição do homossexualismo com tons de aberração, quando claramente essa não é a verdade.

Sério, o que pensar de uma pessoa assim?

Gente assim é nojenta, perniciosa. Mentalmente perturbada.

Golden Shower não dá.

Quem compartilhou vídeo de Golden Shower no Twitter deve ter a sua conta banida da rede social. Simples assim. Isso é violação das regras daquela rede, e sua exclusão deve servir de exemplo para os demais. Aliás, essa pessoa deveria ser exemplo positivo, e não reforço de atitudes irresponsáveis.

Enfim, fica o registro. Golden Shower não dá. E eu tenho certeza que você não gostaria que os seus filhos e netos conhecessem tal prática dessa forma.

E que cada um tire as suas CONCLUSÕES (isso mesmo… em caixa alta, porque a pessoa nem escrever direito sabe) sobre o assunto.