Google e Microsoft decidiram realizar grandes eventos para desenvolvedores, mas com objetivos claramente diferentes. Google I/O e Microsoft Build só contam em comum os fatos de acontecerem em janelas próximas do ano e para os dois eventos serem direcionados para públicos bem específicos.

Por um lado, o Google I/O 2019 deixou a privacidade como plano de fundo para um evento que também foi mais voltado para o consumidor final. Por outro lado, a Build 2019 estava bem mais centrada no desenvolvedor, nas empresas e na nuvem do que nos usuários.

Algo sintomático para os dois eventos. E isso ficou claro nas suas novidades e estratégias que foram apresentadas em casa apresentação.

De certo modo, os dois eventos foram uma forma de consolidação de duas estratégias diferenciadas, com dois papeis bem diferentes no mundo da tecnologia. Por um lado, a Microsoft, que já nem tem o Windows como serviço, que dirá como produto principal. Hoje, o protagonismo é da nuvem, da inteligência artificial e da vocação empresarial.

Aliás, vocação empresarial sempre foi um dos focos da Microsoft, mas a batalha da mobilidade conquistada por Google e Apple fez com que a gigante de Redmond aumentasse a importância para essa vocação. Por outro lado, a importância oferecida para a realidade mista nessas apresentações caiu, e o apoio (e aposta) no software livre só aumenta, algo que era impensável no passado, mas que hoje começa a entregar grandes resultados para a empresa.

E isso explica porque o Edge hoje é baseado no Chromium, por exemplo.

 

 

Do outro lado, está o Google, que cada vez coloca mais esforços em falar sobre privacidade. Mas não dá para esquecer que o núcleo do seu negócio está na prática em obter a maior quantidade de informação possível dos nossos padrões de consumo e comunicações para explorar comercialmente com publicidade hiper segmentada. Porém, sempre é bem vindo o fato que até serviços que seguem esse esquema melhorem o tratamento da privacidade dos usuários.

Muito além disso, a tônica habitual: serviços cada vez melhores que chegam graças à enorme importância que o Google dá para a inteligência artificial, as novidades que o Android Q vai oferecer, um Google Assistente cada vez mais redondo e um Nest Hub Max que desafia os temores sobre a privacidade.