Início » Tecnologia » Grace, a robô enfermeira

Grace, a robô enfermeira

Compartilhe

Pode ser que a robótica não seja exatamente aquela que o desenho animado Os Jetsons imaginou. Até hoje eu espero uma Rosie para me ajudar nas tarefas de casa. Mas isso não quer dizer que essa tecnologia não está melhorando.

A grande maioria dos robôs que conhecemos não contam com expressão. Ou são os assustadores robôs em forma de cachorro desenvolvidos pela Boston Dynamics. Mesmo assim, quando a robótica é direcionada para os tratos humanos, é possível obter resultados mais humanizados.

Vamos ver neste post como a Grace está ajudando as pessoas.

 

 

 

Um robô que ajuda enfermos e necessitados

A Hanson Robotics apresentou um robô focado na atenção médica. A Grace é inspirada na Sophia, outro popular projeto da empresa. O novo projeto tem como principal objetivo interagir principalmente com os idosos e os doentes isolados por conta da pandemia da COVID-19.

Estamos diante de um robô humanoide que usa um uniforme de enfermeira e conta com expressões faciais que são muito próximas daquelas que oferecem os seres humanos, com resultados até convincentes e que podem ajudar a despertar a empatia nos pacientes.

O robô está equipado com sensores que trabalham com uma câmera termográfica no peito para detectar a temperatura e o pulso dos pacientes, identificando a febre de forma autônoma (sem a necessidade de recorrer a um médico humano).

Uma inteligência artificial avalia o estado geral dos pacientes, e o robô pode falar diferentes idiomas, facilitando a socialização com estrangeiros e até mesmo realizando terapias de fala.

 

 

 

Quando a Grace vai chegar ao mercado?

A Hanson Robotics já confirmou que vai começar a produzir em massa tanto a Grace como a Sophia no final de 2021, e pretende implantar os robôs em países como China, Japão e Coreia do Sul. Algo bem lógico, uma vez que é a Ásia o continente que mais abraça a tecnologia robótica neste momento.

Esse é um uso de tecnologia que me agrada e muito. São esses robôs que estão acabando com a solidão de idosos e pessoas doentes ao redor do mundo, já que podem interagir com humanoides bem avançados, com uma inteligência artificial desenvolvida o suficiente para cuidar dessas pessoas 24 horas por dia.

 

 

 

Via Business Insider


Compartilhe