Hashi “inteligente” potencializa os sabores de comida com choques elétricos | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Gadgets » Hashi “inteligente” potencializa os sabores de comida com choques elétricos

Hashi “inteligente” potencializa os sabores de comida com choques elétricos

Compartilhe

Ah, Japão… eu te amo, e vou sempre defender você!

O país é uma das mecas da tecnologia e, de tempos em tempos, apresenta soluções tecnológicas diferentes, inusitadas e muito interessantes. E, neste caso, o pessoal da universidade de Meiji (Japão) desenvolveu palitos hashi “inteligentes”, que são capazes de potenciar em até 1.5 vezes o sabor dos alimentos.

Até porque muitas pessoas estão diminuindo consideravelmente o consumo de sal para obter um estilo de vida mais saudável. E podem substituir esse elemento por pequenos choques elétricos na língua para estimular as papilas gustativas!

Olha só que interessante!

 

 

 

Poderia ser um esquete do Porta dos Fundos, mas não é

Quando eu vi esse hashi elétrico inteligente, rapidamente pensei em um esquete do Porta dos Fundos, onde os personagens ficam tirando sarro dos restaurantes gourmetizados que apresentam soluções inusitadas para experiências gastronômicas supostamente transcendentais. Como, por exemplo, um tapa na cara para potenciar os sabores.

Mas neste caso, temos um objetivo mais nobre. A ideia do produto é auxiliar as pessoas que adotaram dietas com baixas quantidades de sal, com a estimulação elétrica que aumenta a sensação de salinidade.

Ou seja, você leva choques na língua para sentir o pouco sal que estão nos alimentos que foram preparados com 30% menos sal que o normal. Na verdade, o choque não é diretamente na língua (pois isso seria uma tortura constante). É o alimento que recebe a carga elétrica, antes de ir para a sua boca.

Essa onda elétrica controla o sabor salgado com uma corrente débil, melhorando o sabor dos alimentos considerados insossos pelo pouco sal. Dessa forma, a sensação de salinidade para o consumidor é até 1.5 vezes maior.

A onda elétrica é programada de forma exata para apenas estimular o alimento, sem oferecer riscos ao usuário. Tudo o que o sistema faz é ajustar os íons no glutamato de sódio para espessar artificialmente o sabor dos alimentos.

 

 

 

Eu comeria uma comida eletrificada?

Olha… quem sabe?

Não sou o tipo de pessoa que se recusa a experimentar novas soluções para problemas do dia a dia que podem afetar as pessoas de diferentes formas. Até porque a tecnologia existe justamente para isso.

Por outro lado, pensar que minha língua pode tomar um choque por causa de um hot Filadélfia ou um sushi de salmão com cream cheese não parece ser algo muito animador. Pelo contrário: seria uma das formas mais patéticas para tomar um choque.

Mas quero acompanhar a evolução desta tecnologia. Jamais vou virar as costas para gadgets interessantes e, principalmente, para comida de graça.


Compartilhe
@oEduardoMoreira