John Harding, um senhor de 72 anos que vive no Hawaii, recebeu em junho passado uma carta de uma advogado que afirmava ter evidências de o IP de sua casa teria baixado mais de 1.000 filmes ileais de todos os tipos (incluindo pornografia, é claro).

A notificação exigia que o idoso pagasse uma multa que ultrapassava os US$ 4.000. Obviamente, Harding se defende, dizendo que o seu uso do computador se reduz a jogos, e-mails e ler notícias.

Logo, resta saber por que o seu endereço de IP indicava esse tipo de atividade criminosa.

Por outro lado, os acusadores garantem que não querem levar velhotes à falência (a multa máxima por baixar um filme pirata é de US$ 150 mil), mas sim deter a pirataria. Por outro lado, pode acontecer que medidas preventivas e ameaças sejam aplicadas a pessoas que não tem nada a ver com as práticas criminosas.

De qualquer forma, mais nada é sagrado nessa vida. Nem mesmo a terceira idade.

 

Via Hawaii News Now