htc

Chialin Chang decidiu abandonar o seu posto de CEO na HTC, e a decisão chega poucos dias depois do amargo relatório fiscal da empresa ser anunciado.

Foi mais um trimestre negativo para a HTC (quarto trimestre de 2017), com uma queda de 27% em um ano. De acordo com o comunicado oficial, Chang deixa a empresa por motivos pessoais e de carreira.

Com o valor de mercado despencando, o futuro da HTC no mercado Android é muito incerto. O quadro negativo se repete a cada trimestre, e seus produtos são cada vez mais ignorados pelos usuários.

A empresa demonstrou ainda mais fragilidade com a venda do departamento responsável pela criação do Google Pixel para a Google, por US$ 1.1 bilhão. O negócio ainda envolveu um acordo para a utilização de algumas patentes da HTC pela Google.

A marca teve seu auge no mercado Android em 2010, com o EVO 4G. Depois, o HTC One M7 surpreendeu o mundo com sua qualidade de construção, assim como o M8, modelo promissor que falhou no quesito fotografia. Quando o M9 foi lançado, a marca já havia perdido fôlego, e nunca mais se recuperou.

Chialin Chang deixa a empresa depois do lançamento do HTC U11, que até foi bem recebido pela comunidade. A marca já trabalha no U12, e em um smartphone capaz de utilizar as redes 5G, que deve contar com tela 18:9 de 6 polegadas.

Não sabemos qual será o sucessor de Chang, mas esperamos que a empresa encontre alguém forte o suficiente para salvar uma marca que parece estar com os seus dias contados no mercado Android.