Compartilhe

HTC-One-A9-840x473

A HTC segue sendo uma gigante dentro do mercado de smartphones, e isso ninguém pode duvidar. Digo mais: eles conseguiram essa posição com méritos (até agora). Porém, está ficando cada vez mais claro que eles hoje são apenas uma sombra do que já foram, com medidas desesperadas para chamar a atenção da mídia e do público.

E, muitas vezes, chama a atenção pelo lado negativo da questão.

Hoje (20), a empresa apresentou o HTC One A9, um modelo que, apesar de bem intencionado, com boas especificações e um acabamento que se propõe a ser de qualidade superior em relação à sua faixa de preço, não consegue recuperar a essência perdida pela fabricante.

O modelo vazou por algumas oportunidades nos últimos dias, e a proposta geral mostra como a HTC está perdida, sem inspiração, e sem originalidade. Recorre à estratégia barata de copiar o que funciona nas outras empresas, no lugar de trabalhar para voltar a ser a empresa que seduziu muita gente na época do lançamento das primeiras versões dos modelos Desire e Sensation.

Em linhas gerais, o HTC One A9 é uma copia muito descarada do iPhone 6. É tão cópia, que parece um xing-ling. A HTC conseguiu a façanha de deixar o seu novo dispositivo muito parecido com o smartphone da Apple até mesmo na sua parte frontal. Até porque na parte traseira a cópia é explícita, inclusive nos detalhes das faixas de antena propostas no iPhone 6.

As imagens falam por si.

iphone-6-plus-space-grey

Nas especificações, o HTC One M9 possui uma tela de 5 polegadas (1080p), SoC Snapdragon 617 octa-core, 3 GB de RAM, 32 GB de armazenamento, câmeras de 13 MP e 4 MP (frontal Ultrapixel), bateria de 2.150 mAh, sistema operacional Android M e preço sugerido de 599 euros.

Ou seja: temos uma cópia do iPhone 6, com especificações que não estão no mesmo nível de qualquer modelo top de linha no mercado Android, e com um preço exagerado.

HTC… você está fazendo isso errado!


Compartilhe