Estamos cada vez mais próximos da realidade retratada em Black Mirror. Várias startups apareceram com propostas que envolvem o uso da inteligência artificial para melhorar o recrutamento no departamento de recursos humanos de várias empresas.

O principal objetivo da iniciativa é resolver o problema das entrevistas remotas. Muitas empresas optam por entrevistar os seus candidatos de forma presencial, ou porque o candidato está longe da sede da empresa, ou porque a vaga que aquela empresa está disponibilizando é para um trabalho remoto.

Porém, nas entrevistas remotas, fica difícil observar determinados detalhes dos entrevistados através de uma webcam. Detalhes esses que só podem ser percebidos presencialmente. E é para isso que empresas como HireVue, AllyO e Arya desenvolvem suas ferramentas de IA para analisar currículos e padrões para definir os melhores perfis para as respectivas empresas e os candidatos que se alinham com esse perfil.

Já a VCV tem um objetivo ainda mais ambicioso. A startup conseguiu um financiamento de mais de US$ 1.7 milhão para que a sua inteligência artificial chegasse ao mundo, que se diferencia das demais por analisar o rosto e a voz dos candidatos de forma automática, para aumentar a análise do perfil do candidato durante a entrevista.

 

 

Como a VCV quer implantar essa tecnologia?

 

 

O investimento veio de uma joint venture envolvendo várias empresas japonesas e investidores, e vai ajudar a desenvolver essa tecnologia para atuar em um escritório em Tóquio. Essa inteligência artificial consegue detectar e eliminar qualquer tendência de comportamento humano, analisando o candidato de forma prévia, realizando chamadas telefônicas automáticas e até mesmo entrevistas de emprego onde o vídeo e o áudio são gravados para análise posterior.

Através desse sistema, os candidatos podem gravar os seus vídeos para a oferta de emprego no computador ou no smartphone. A IA vai analisar os padrões de comportamento, humor e nervosismo para determinar se o candidato está apto para a vaga.

A VCV afirma que sua inteligência artificial não vai substituir o recrutador nos recursos humanos, mas pode dinamizar o processo de entrevistas, podendo ajudar as empresas a poupar mais de 20 horas no processo de entrevistas e recrutamento.

Quem já utiliza a IA da VCV é a L’Oreal, Danone, Mars e Citibank. Veremos como vai ser quando todas as entrevistas forem feitas por inteligência artificial.