Eu sou um usuário regular de smartphones desde 2008, ano em que comecei a escrever sobre tecnologia na internet. Entendi que, a partir daquele momento, eu precisava contar com soluções mais conectadas e inteligentes. Por isso, investi o meu dinheiro em um smartphone… da Nokia.

Isso mesmo. Nem Android, nem iPhone. O meu primeiro smartphone foi o excelente Nokia E71, com teclado QWERTY e tudo. Fui feliz com ele até comprar o meu primeiro iPhone 3G, e ainda mantive o telefone da Nokia para trabalhar.

Do iPhone 3G, fui para o iPhone 4. Depois, iPhone 5. E então, eu me cansei do iOS (e da necessidade de ter que fazer gambiarras como jailbreak para contar com maiores funcionalidades), e fui para o Android. E de lá para cá, eu não abandonei a plataforma (até porque não acho certo a Google ficar com a pequena fortuna que gastei na compra de aplicativos).

Mas no meio do caminho, utilizei outros sistemas operacionais, como o Windows Mobile e o Windows Phone. Flertei com o Symbian com interface touch no Nokia N8 (que recebi no Nokia Expedition), e ao longo de 10 anos escrevendo sobre tecnologia na internet, vários dispositivos diferentes passaram pelas minhas mãos.

Então, eu posso dizer com boa dose de propriedade: já vivi os dois mundos. E entendo que, depois de tanto tempo, não evoluímos nas discussões envolvendo Android e iOS.

Quem hoje está no iOS dificilmente vai para o Android. Apenas fatores econômicos justificam a troca. Do mesmo modo que aqueles que hoje estão no Android dificilmente pulam o muro. A não ser que o seu dispositivo Android tenha causado um problema épico e a vítima em questão tem bala na agulha para investir em um iPhone.

Agora, se tem uma coisa que não evoluiu nessa discussão é a pergunta que eu não aguento mais ler ou responder…

Quem é melhor: iOS ou Android?

Resposta: NENHUM DOS DOIS!

Os dois sistemas operacionais são muito bons, mas contam com características bem diferentes. O Android pensa na performance plena, e não é mais o devorador de recursos do passado. Já o iOS pensa na otimização de recursos, mas é um sistema naturalmente fechado, para que tudo funcione.

Ou seja, a melhor coisa que você pode fazer por você mesmo é aceitar o fato que você precisa se adaptar ao sistema que melhor atende as suas necessidades diárias.

Mas é importante dizer também que não é impossível mudar do Android para o iOS ou vice-versa. A palavra de ordem aqui, de novo é ADAPTAÇÃO. É fundamental você ter o mínimo de boa vontade e paciência para aproveitar a curva de adaptação para conviver melhor com o novo mundo que vai se abrir para você em uma nova plataforma.

No final das contas, não é mais uma questão do preço do dispositivo, nem do ecossistema que rodeia o seu mundo conectado. O preço ainda é um fator importante, mas o mais decisivo é você estabelecer as bases do que você mais precisa.

Android? iOS? Os dois?

Na verdade, os dois. Se dependesse exclusivamente de mim e não do meu bolso, eu escolheria os dois.