E temos um novo iPad. Bom, vou colocar o “novo” “entre aspas”, já que “novo” não é bem o que ele é.

Na verdade, a Apple decidiu relançar o iPad de 9.7 polegadas com o adicional de contar com o suporte para a Apple Pencil, algo antes restrito aos modelos Pro do seu tablet.

O objetivo da Apple aqui é combater os Chromebooks, e pode ser até uma aposta considerada válida. É um iPad menos caro, com suporte para um elemento de interação e produtividade educacional, mas custando US$ 100 mais caro que o preço médio de um notebook com Chrome OS.

Pode ser uma estratégia interessante para revitalizar (em partes) o iPad, que padece do mesmo problema de todo um setor. Apostar no segmento educacional mais básico pode funcionar, especialmente quando olhamos para o fato que o tablet da Apple vai bem no meio universitário.

Mas… como competir com os baixos preços dos Chromebooks? Alguns modelos híbridos de diferentes fabricantes com o Chrome OS entregam tudo o que os estudantes precisam, mas com um custo muito menor.

Será que a Apple consegue emplacar esse novo iPad 2018 com Apple Pencil (que, vale a pena lembrar, será vendida separadamente, e custa US$ 99)?

Sinceramente? Acho um pouco difícil, mas não tão improvável.