Compartilhe

Já que eu passei o dia de ontem (18) escrevendo sobre o coronavírus (acrescentando informações úteis para a nação), vou passar o dia de hoje (19) falando sobre os lançamentos da Apple, a começar pelo iPad Pro (2020).

Desconfio que a Apple lançou o produto por causa do vazamento das especificações que aconteceu na Ásia minutos antes. Então, alguém lá em Cupertino pensou: “bom, já que todo mundo descobriu o que está por vir, por que não contar tudo para eles?”.

E fez isso.

 

 

 

É “like a Pro”, especialmente no preço!

 

 

Não podemos negar que o iPad Pro (2020) é feito e pensado nos profissionais de diferentes segmentos. É um tablet potente, com uma tela incrível, um novo processador poderoso, um iPadOS cada vez mais otimizado para as tarefas de produtividade (ainda mais agora com o suporte ao mouse e ao touchpad) e muito mais leve do que muitos notebooks disponíveis por aí, o que beneficia diretamente aos usuários que precisam da mobilidade para ser feliz.

A chegada do novo Magic Keyboard, com um trackpad integrado e base que posiciona o iPad Pro (2020) em uma posição mais adequada para quem vai usar o tablet para longas digitações ou visualização de conteúdos é um aditivo muito interessante. É muito pensado no profissional mesmo.

Agora… é preciso ser muito profissional nessa vida e ganhar muito bem na sua profissão para pagar até R$ 20 mil para obter a experiência mais completa possível com o novo iPad Pro (configuração com tela de 12.9 polegadas, WiFi + 4G, como teclado Magic Keyboard).

É caro demais para a maioria das pessoas!

E, com esse preço, pode valer muito mais a pena comprar um notebook ultraleve, ultrafino e muito potente com Windows 10 e ainda guardar um troco para comprar um Xbox One X do que comprar um iPad Pro (2020).

 

 

Imagino que só vale mesmo a pena comprar o novo iPad Pro (que tem preços menos caros para os usuários que não precisam do 4G para navegar na internet em qualquer lugar, ou não necessita dos 1 TB de armazenamento) quem realmente está totalmente dependente do ecossistema da Apple.

Eu sei que tem muita gente que não abre mão do iOS ou do iPadOS, e compreendo essas pessoas. Porém, para a maioria dos meros mortais que estão dispostos a pagar caro para ter um equipamento informático ultrafino para transportar em qualquer lugar, o iPad Pro (2020) está longe de ser a melhor opção.

Pesquise por um poderoso ultrabook com Windows 10 e seja feliz.


Compartilhe