iphone 8

A Samsung lançou o primeiro smartphone de grande apelo popular a ter um preço de US$ 999, e a Apple deve tomar a mesma decisão para o iPhone 8 em seu preço base.

O iPhone do décimo aniversário será um modelo especial. De tudo o que já sabemos do modelo, tudo parece estar bem encaminhado para que o smartphone realmente se sobressaia dos anteriores, com mudanças de design e funcionalidade.

Um novo iPhone quase todo tela na parte frontal, uma reformulação de interface sem o botão Home… e um preço astronômico com todas essas novidades.

Os últimos rumores apontam para o iPhone mais caro da história, com preço inicial sugerido de US$ 999. Muito acima dos US$ 649 e US$ 769 dos atuais iPhone 7 e iPhone 7 Plus. E essa inflação vai fazer muita gente reconsiderar sua compra.

O iPhone 7 Plus já tem um preço exorbitante nas capacidades de 128 GB e 256 GB de armazenamento. Se assumimos que o iPhone 8 virá com 128 GB no modelo base, o seu preço seria “justificável” baseado nessa regra.

Mas o quão é justificável gastar mais de US$ 1.000 em um smartphone?

Está mais que provado que, por menos da metade desse valor, é possível ter um ótimo smartphone para o dia a dia.

Se bem que sempre tem gente que vai justificar a compra por simplesmente usar um smartphone por 18 horas por dia, e que vale mais a pena comprar um iPhone do que um notebook que é utilizado tradicionalmente. Mesmo assim: é muito dinheiro, e nem mesmo os subsídios de operadoras conseguem ocultar esse fato.

A Apple não deve se preocupar muito com isso. Quem não comprar um iPhone 8 vai se conformar com um iPhone 7S menos caro, ou até mesmo um novo iPhone SE que deve chegar daqui a alguns meses. E quem quer um modelo com tela infinity, nem precisa ter um iPhone para isso: vários modelos Android já oferecem tal recurso por muito menos dinheiro.

Sim… o iPhone 8 será um iPhone de luxo, com um preço que será para poucos.

Comece a se acostumar com isso desde já.