Compartilhe

capa-itunes-apple

“Nunca foi tão fácil se divertir”… fala sério, Apple!

Uma das coisas que eu não senti a menor falta quando troquei o meu iPhone 4 por um Moto X (em 2013) foi o iTunes. É um software cujo download é de um volume enorme, é pesado e impositivo no seu uso. Chato mesmo. Com o tempo, você descobre que ele não é de uso obrigatório – o MediaMonkey faz a mesma coisa, com um download bem mais leve, e sem comprometer o desempenho do sistema operacional -, e mesmo com algumas melhorias de funcionalidades, é algo desnecessário. É um grande erro da Apple.

Pois bem, nesse final de semana fui obrigado a me deparar com esse pequeno monstro chamado iTunes. Esse software parece um Jason. De tempos em tempos ele aparece para atormentar a minha vida, mesmo contra a minha vontade. Dessa vez, o motivo para que eu tivesse que encarar o pequeno (grande) monstro foi a restauração de um iPod Touch que passei para frente.

Comecei a trabalhar nessa restauração às 16h da tarde de sábado, 25 de abril. Depois de várias tentativas (e códigos de erro dos mais diversos, com as mais diferentes numerações), comecei a eliminar as possibilidades:

– problema de comunicação com os servidores da Apple: resolvido (com a adição de um endereço proxy no arquivo Hosts do próprio iTunes)
– problema de tentativa de atualização de produto com jailbreak (resolvido, com a ajuda de ferramentas como o redsn0w e IREB, entre outros softwares)
– problema de compatibilidade de hardware (as portas USB 3.0 do Dell Vostro 5470 poderiam estar influenciando na comunicação correta do iPod com o iTunes).

O último detalhe me deixou intrigado. Nunca havia pensado na possibilidade real de ser uma incompatibilidade de hardware tão flagrante assim. Mas aí eu pensei ‘eu estou no Windows 8.1, onde as coisas funcionam um pouco diferentes’, e como por sorte ainda tenho por aqui o meu ultrabook da Toshiba, eu decidi tentar o processo de restauração com ele, que tem o Windows 7 instalado.

Eu nem preciso me alongar muito, pois vocês já devem bem imaginar que tudo deu certo, de primeira, sem maiores dificuldades.

Bastou instalar o iTunes no Windows 7, utilizar a firmware que já tinha baixado (entre as diversas tentativas feitas), e restaurar o iPod Touch, como se não houvesse o amanhã. O produto está pronto para ser despachado na próxima segunda-feira (27), e eu garanti uma boa noite de sono.

Ah, eu sei que vão dizer que o problema está no computador da Dell, e que o iTunes não tem culpa de nada. Na boa? Tem sim. Esse programa deveria funcionar direito no Windows 8.1. Afinal, é a versão mais atualizada do sistema operacional da Microsoft, e é a versão mais atualizada do seu próprio software do iTunes. Não é para ser tão complicado assim.

Logo, me sinto castigado pela dupla iTunes 12 + Windows 8.1. Não sou o único que reclamou das inventices da Apple nessa versão (e no iOS 8, mas aí é outra história). Sei que Microsoft e Dell podem ter a sua culpa no cartório. Mesmo assim: minha raiva com o iTunes vem de anos.

Acho o programa uma grande e desnecessária porcaria, que impõe uma forma de gerenciamento de arquivos que não é tão prática quanto se vende (nada é mais simples que pegar os arquivos de músicas e copiar em outra pasta de arquivos… e pronto), e que interfere de forma absurda no desempenho do computador.

Fácil? Fácil mesmo é não ter o iTunes no computador. E o pior é que essa praga de programa não vai sumir da minha vida tão cedo. Até porque eu ainda tenho o Apple TV em casa. Logo… enfim… vida que segue, não é mesmo?


Compartilhe