Bem sabemos como os videogames clássicos podem ser muito complicados para as crianças e adolescentes atuais. Hoje, temos um vídeo da série React do YouTube, que demonstra como um grupo de adolescentes não pode passar da primeira fase do jogo Contra.

Para começar, nenhum dos jovens conhece o jogo, que é um clássico do NES. Chama a atenção em como eles morrem com tamanha facilidade, mesmo depois de várias tentativas, não conseguem superar o primeiro cenário do jogo, que nem é tão difícil assim.

Vale lembrar que o jogo é famoso por incluir o Código Konami, que quando executado oferece 30 vidas ao jogador. Esse foi um fator determinante para que muita gente terminasse o jogo.

É um assunto que dá muito o que falar, especialmente porque vismos casos onde os estúdios desenvolvedores incluíram um ‘modo fácil’ nos jogos para evitar as frustrações.

É o tipo de coisa que, na prática, não ensina muita coisa aos jovens. Jogos, quanto mais difíceis, melhores são. Assim como a vida é. Tudo o que vem muito fácil pode trazer a satisfação momentânea, mas não entrega um ensinamento duradouro.

Não é o caso dos videogames terem a missão de ensinar algumas coisas, mas é importante que crianças e adolescentes consigam aprender desde cedo algumas lições com tudo o que está ao seu redor. Inclusive com o entretenimento.

No caso dos videogames, esse nível de dificuldade pode ser determinante para que, no futuro, os desafios de verdade não metam medo, não frustrem nem desanimem para quem quer sempre evoluir. É melhor perder várias vidas no videogame e continuar tentando do que sempre enfrentar um desafio fácil e simples, para no futuro se decepcionar e entender que a vida corre em outra velocidade.

No final das contas, eu acabo me perguntando o que estas crianças e adolescentes fariam quando jogar games ainda mais complexos, como Castlevania, Ghost and Goblins ou Ninja Gaiden.