Compartilhe

Julian Assange incomoda muita gente há anos. Porém, depois de sua prisão e as poucas informações disponíveis sobre o seu confinamento, muitos estão preocupados com o estado de saúde do fundador do WikiLeaks. Médicos falam sobre isso há pelo menos seis meses, principalmente sobre as repercussões que a prisão poderia ter em sua integridade física.

Pois bem, agora que estamos vivendo uma pandemia sem precedentes, tais preocupações dispararam. Todo mundo quer saber como o menino Julian está. E ele decidiu dar um sinal de vida, com uma revelação inesperada: Assange teve dois filhos em segredo com sua advogada enquanto vivia na embaixada do Equador.

Não podemos julgá-lo, não é mesmo? Quando você tenta fugir da justiça norte-americana (que o acusa de crimes que muito provavelmente ele não cometeu), você fica confinado e com muito tempo livre. E uma das melhores coisas que você pode fazer para matar o tempo é fazer sexo com a sua advogada.

A notícia foi revelada de forma exclusiva pelo jornal Mail on Sunday (via Japan Times), que entrevistou Stella Morris, advogada de Assange durante o seu período de refúgio na embaixada. Ela garante que manteve um relacionamento amoroso com Assange por anos.

Eles se conheceram em 2011, quando ela se uniu ao time de advogados dele. Em 2012, Assange se exilou na embaixada do Equador em Londres, e o romance começou em 2015, depois que ela visitou várias vezes o seu cliente na embaixada. O primeiro filho, Gabriel, nasceu em 2016, e o segundo filho, Max, nasceu em 2017.

 

 

 

É tudo verdade!

 

 

Antes que você pense que tudo isso é um conteúdo digno de um site de fofocas ou de um jornal sensacionalista britânico, saiba que a conta oficial do WikiLeaks no Twitter publicou um vídeo confirmando toda a história.

 

 

 

Palavras de Morris no vídeo:

“Formar uma família foi uma decisão deliberada de derrubar as paredes ao seu redor e imaginar uma vida além da prisão. Embora parecesse loucura para muitas pessoas começar uma família nesse contexto, para nós era a coisa sensata a se fazer, para manter um senso de realidade.”

 

A revelação da existência da família de Julian Assange acontece diante dos temores sobre o potencial contágio do COVID-19 entre os presos na prisão de Belmarsh, local onde está o ativista nesse momento.

Assange cumpriu o período mínimo de sua sentença desde setembro de 2019, mas o juiz do caso se negou a deixá-lo sair sob fiança, por conta dos seus antecedentes. O temor pela saúde e o perigo do contágio, uma vez que já foram confirmados casos no interior do presídio, foram os motivos para esse movimento, que tem como objetivo principal impulsionar a sua saída da prisão.


Compartilhe