A LG apresentou o LG G7 ThinQ (e um até então desconhecido LG G7+ ThinQ), modelo top de linha que foi adiado por supostas repaginações de design. De fato, temos algumas novidades interessantes no conceito geral do dispositivo.

Com um mix de ‘mais do mesmo’ no design geral dos smartphones da linha G com a participação especial do onipresente notch, posso dizer que aqueles que já gostam do design da LG vão gostar desse smartphone. A não ser aqueles que tem raiva da mesmice do notch. Mas é o tal negócio: é a tendência de mercado, e você vai ter que se acostumar com isso.

 

 

Ou aceita, ou espera a Apple remover o notch, e todo mundo repetir o mesmo.

Ah, sim… a LG adicionou um botão dedicado ao Google Assistente, que foi modificado para ser mais inteligente com esse modelo. Customizar a experiência Android pode ser uma boa saída para convencer um público maior.

 

 

Nas especificações de hardware, a mesma receita dos demais fabricantes e, dessa vez, sem misérias. Snapdragon 845, duas variantes (4 GB + 64 GB para o G7, 6 GB + 128 GB para o G7+), sistemas de armazenamento e RAM com alta velocidade, e uma bateria de 3.000 mAh com modo de recarga rápida Quick Charge 3.0 (além do modo de recarga sem fio).

Podemos reclamar um pouco dessa bateria, que alguns vão considerar escassa para um dispositivo com essa potência. Mas é outra tendência que você vai ter que se acostumar, ainda mais com a LG, que quer oferecer um smartphone cada vez mais fino.

Os diferenciais desse modelo estão em três pontos considerados importantes para muita gente.

 

 

A começar pela tela, que recebe várias tecnologias novas, inclusive uma que oferece 1.000 nits de brilho máximo com uma economia de bateria de até 30%. “Como a LG conseguiu isso?”, eu pergunto. Sem falar na compatibilidade com conteúdos HDR e 100% de cobertura de gama de cores DCI-P3.

A LG sabe muito bem como fazer telas de smartphones. É uma das melhores nesse segmento. E tudo indica que a empresa deu show de novo com o LG G7 ThinQ.

O segundo diferencial está no conjunto de câmeras.

 

 

Dois sensores traseiros de 16 MP com grande angular no sensor secundário para que mais elementos entrem nas fotos. O sensor frontal de 8 MP (f/1.9) e todos os recursos de inteligência artificial para melhorar as fotos entregam um conjunto muito promissor.

Bem sabemos que as câmeras presentes nos smartphones da LG estão entre as melhores do mercado. Logo, podemos esperar fotos e vídeos excelentes vindas desse dispositivo.

E o terceiro aspecto onde a LG aposta ser diferente nesse modelo é na parte de som. São várias tecnologias novas, indo de DAC avançado para som com alta fidelidade até tecnologias de ressonância que aproveitam as superfícies para amplificar ainda mais o som.

Sem falar no recurso que identifica o tipo de fone de ouvido conectado para melhorar a qualidade de som reproduzida por ele, trabalhando com qualquer tipo de áudio.

 

 

O LG G7 ThinQ é o que tinha que ser. Atualiza o modelo do ano passado, coloca em pé de igualdade com os demais lançamentos de 2018 e aposta em diferenciais sustentáveis para o público com o qual quer conversar.

Para quem já gosta da proposta da LG, é um modelo que atrai e muito. E… quem sabe pode conquistar algumas pessoas com os tais diferenciais que destaquei nesse post.