Ir ao conteúdo

LG vai mesmo dar tchau para o mercado de smartphones?

Compartilhe

Ninguém gosta de perder dinheiro. Principalmente quando você não tem tanto dinheiro como antes, e está perdendo bilhões nos últimos meses. É mais ou menos isso o que está acontecendo com a LG no mercado de smartphones.

Hoje (20), enquanto o mundo se preparava para a posse do Joe Biden, o CEO da LG, Kown Bong-seok, manifestou o seu pensamento sobre a atuação da empresa que comanda, e não poupou palavras para expressar sua insatisfação diante de recordes negativos sucessivos nas vendas e o prejuízo enorme que a empresa está tomando na cabeça.

 

 

 

“É o momento de tomar decisões frias”

 

Ele dá a entender que os dias da LG no mercado de smartphones estão contados, mas faz isso depois de apostar por algum tempo que a empresa iria oferecer “designs surpreendentes” de seus produtos.

De fato, não podemos dizer que a LG não tentou. Apresentou modelos com formatos irreverentes, como LG Velvet e LG Wing, além do LG Rollable, apresentado recentemente. Todos eles são bem diferentes do convencional, mas nenhum deles chamou a atenção o suficiente para que o grande público se interessasse por ele.

Aqui, devo observar que a LG, por outro lado, mudou a sua estratégia de abordar o grande público, tal e como outras fizeram. Aquilo que eu chamo de “farra do boi” acabou, e veículos pequenos como o meu não mais receberam produtos da empresa para testes.

Também, pudera: nos últimos tempos, a assessoria de imprensa da LG pisou tanto na bola, com falhas de logística e até falsas promessas, que não é surpreendente que os produtos da empresa pararam de ser enviados por aqui.

Mas não guardo mágoas da LG. Minha Smart TV e meu monitor de 29 polegadas são da marca.

Insisto que eu entendo perfeitamente a mudança de estratégia da empresa. Porém, com a experiência que tenho escrevendo sobre tecnologia, não era difícil concluir que o que estava acontecendo com a LG foi o mesmo que aconteceu com a Nokia, com a Motorola e com tantas outras empresas do segmento mobile: ela foi encolhendo, diminuindo e, de forma quase inevitável, pode desaparecer.

 

 

 

Hoje, desaparecer pode ser “uma vitória”

 

Nesse momento, a cota de mercado da LG no mercado mobile é de apenas 1.7%. É bem menos que vários dos seus principais concorrentes no mercado asiático (Huawei, Xiaomi, Vivo, etc), e a empresa virou uma coadjuvante dentro desse segmento.

Logo, abandonar o mercado mobile nesse momento pode ser, de forma surpreendente, “uma vitória” para a LG. Ao menos pode evitar os efeitos desagradáveis de vergonha, humilhação e até pena que Nokia, Motorola e BlackBerry despertaram no passado, justamente por não compreenderem qual era o momento certo de desistir.

Com as perdas bilionárias que a LG está sofrendo no segmento de smartphones, não é difícil imaginar que a empresa vai abandonar o setor. Outras que tiveram trajetórias semelhantes tiveram o mesmo fim. Nesse momento, a marca é pouco relevante no setor, e pode se sair melhor se apostar em outros segmentos mais lucrativos.

Como são os casos das Smart TVs e monitores.

O tempo vai dizer, mas as declarações de Kown Bong-seok falam muito mais do que o relógio correndo. É quase um ultimato.

Vou sentir falta dos smartphones da LG, confesso.

 

 

Via Engadget


Compartilhe
Publicado emMinha OpiniãoNotíciasTelefonia