Compartilhe

Existe vida inteligente lá fora. Não tenha dúvidas disso.


Eu estava meio tonto, mas sentia meus braços e pernas. Não estava preso, apenas deitado em uma maca, em uma sala branca, muito bem iluminada e perfumada. Eu não precisei dizer nada. Aquela energia azul leu os meus pensamentos.

Posso até ter pensado no líder dele em tom de brincadeira, mas aquela força me levou a sério.

Enquanto me deslocava pelos corredores do local, uma sensação de paz invadia o meu ser. Aquele ambiente inspirava tranquilidade. Indicava que, naquele local, eu iria encontrar as respostas mais importantes da minha vida.

Mas… eu ainda estava intrigado: eu morri ou fui abduzido? Ou sequer saí da Terra e estava sonhando com tudo isso?

Entrei em uma grande sala de controle, cheia de equipamentos tecnológicos que pareciam computadores e tablets. Tudo funcionando em uma velocidade assustadora, compilando dados, coletando dados. Processando informações. Nessa sala, não havia pessoas: havia esses equipamentos funcionando com feixes de luz que corriam diante da tela, o que indicava um comando ou uma operação em execução.

Eu estava maravilhado com tudo aquilo. Era uma tecnologia superior, muito mais avançada que a nossa.

E então eu ouço um “Que bom que você gostou da nossa tecnologia em constante evolução…”. 

Me virei para trás, e vi uma grande fonte de energia multicolorida. Uma força muito superior do que a primeira que encontrei naquele lugar. Mais uma vez, não foi preciso dizer ou ouvir qualquer coisa. A comunicação era telepática.

Então, sem saber o que dizer e pensar, essa energia começou a falar comigo. Uma voz presencial, firme, decidida:

“Eu acompanho a sua jornada há muito tempo. Observei seus sonhos, e tudo o que você lutou para chegar até aqui. Eu vejo que você é uma pessoa de bom coração. Consigo ver coisas muito positivas em você. Mas não vejo você como alguém que poderia desistir de tudo assim, dessa forma. 

Eu entendo que você passou por diversas dificuldades, que vive em conflito com você mesmo. Mas não poderia deixar você se abandonar assim. Quando você decidiu saltar para o espaço, eu decidi que iria te resgatar e conversar com você. 

Você viu o seu mundo como poucos dos seus fizeram. Conte essa história para os seus iguais. Conte como você viu o seu mundo de uma forma única. Conte tudo o que você sentiu ao ver o seu pequeno planeta em suas mãos. 

Diga aos que você ama o quanto ama. O quanto você sentiu os sonhos deles pulsando dentro do seu pequeno planeta. Deixe uma mensagem de esperança para quem está perdido no meio de tantas confusões, de tantas guerras. Faça de sua experiência uma fonte de inspiração para aqueles que não tem mais esperança de um futuro melhor. 

Eu sei… é difícil ter esperanças quando o seu mundo vive em guerras, em violência, egoísmo, ódio, corrupção e barbáries. Mas alguém precisa começar um movimento de transformação. E eu escolhi você. Eu confio em você! Confio que você, a partir de agora, vai fazer uma profunda reflexão sobre a sua vida até aqui, modificar o que for necessário em seu interior, e viver mais feliz em função de todas essas mudanças. 

Você vai contagiar milhões, não apenas com o seu exemplo, mas principalmente com a sua atitude positiva. Ela será a sua marca registrada. Você vai plantar no coração de milhões que, ao ver o seu mundo de fora, compreendeu que o azul que você tanto admirou representa a beleza e a pureza da alma dos humanos, e que isso vai prevalecer diante de todas as coisas ruins que hoje acontecem com a humanidade. 

Por favor… não desista jamais dos seus sonhos por conta das dores que você sente. Não desista de você apenas porque alguns não acreditam em você. Não desista de plantar em seu caminho sementes de amor e fraternidade. Pois se algum dia você decidir voltar, o seu caminho será mais florido. 

Viva a sua vida com propósitos e pensamentos positivos. Veja o horror e a guerra que te cerca como motivos muito fortes para tornar vivo em você a bondade e a fraternidade. Mantenha seu coração puro diante das injustiças do mundo, e deixe que as pessoas que amam você veja tudo isso… e te ajude a perpetuar essa corrente do bem, que agora está em suas mãos. 

De novo… eu confio em você. Esta é a sua missão. 

Prepare-se para voltar para casa.”

Depois disso, eu não me lembro de mais nada. Me lembro de um clarão muito forte, que quase me cegou. E depois… tudo escuro. Tudo em silêncio.

Quando eu acordei no hospital geral da NASA, a primeira pessoa que eu vi foi a minha esposa. Ela segurava minha mão, com cara de incredulidade. Mas estava em silêncio. Ao fundo, eu ouvia a minha mãe, orando. Voltei meus olhos para o outro canto da sala, e a vi, de joelhos, orando com fervor para uma imagem de Jesus Cristo cruxificado fixada em uma das paredes do quarto.

Minha esposa sorria e chorava. Segurava minha mão com força. Ela não acreditava que eu estava vivo.

Honestamente? Nem eu.

Os médicos chegaram no quarto. Questionei sobre o que havia acontecido, e eles me informaram que eu decidi enfrentar a reentrada na Terra. Qu eu havia desmaiado com a pressão atmosférica contrária, mas que no momento limite para a cápsula incinerar, o time de controle em terra conseguiu reativar os componentes elétricos, reiniciando o controle automático e os motores, tornando minha queda mais segura.

Eu fiquei em coma por dez dias. Mas sobrevivi.

Me inclinei para abraçar minha esposa. Chamei minha mãe para receber o abraço dela. Nós três começamos a chorar, sentindo a energia um do outro.

Nesse momento, pensei em tudo o que vivi até ali. E decidi, naquela tarde, que iria deixar o programa aéreo espacial. Para sempre.

Hoje, 45 anos depois de tudo o que aconteceu, eu conto essa história para vocês. Mais uma vez.

Ao longo de quatro décadas, eu contei tudo o que aconteceu, em riqueza de detalhes. Mas a maioria não acreditou na minha história. Muitos me chamaram de louco. Alguns apenas me encaram como um milagre.

Mas alguns poucos que me ouviram se inspiraram nesse aventura para realizar façanhas muito maiores que a minha: conseguiram um tratado de paz entre judeus e palestinos, acabaram com o Estado Islâmico, acabaram com a fome na África, derrubaram presidentes corruptos, deram justiça e dignidade aos menos favorecidos…

E, ironicamente, eu conto essa história no mesmo dia em que a NASA descobriu que existe vida inteligente em Marte.

E eu sempre soube disso.

FIM

“Life On Mars”
(David Bowie)
David Bowie, 1971


Compartilhe