Linus Torvalds é conhecido por ter criado o kernel do Linux, mas também pelas suas formas pouco diplomáticas de lidar com o que ele não gosta. Foram várias situações polêmicas na hora de falar do trabalho dos outros, especialmente aqueles que ele considera de baixa qualidade.

Chamar de lixo as correções da Intel, dizer que “vendem merda” ou que os investigadores de segurança são “putas buscando atenção” são apenas alguns exemplos de coisas que Linus declarou nos últimos 10 meses (repito: apenas nos últimos 10 meses).

Mas parece que ele vai mudar um pouco o seu tom de discurso. Em setembro de 2018, Linus Torvalds decidiu dar uma trégua no seu comportamento agressivo, depois de realizar uma auto análise e decidir que deveria mudar.

Torvalds passou um pouco mais de um mês longe do trabalho, e o descanso parece que fez bem, especialmente depois do anúncio do kernel 4.19. O tão temido novo código de conduta do Linux não foi tão polêmico assim, e parece que Linus agora quer se comunicar melhor sem gritar, com um tom menos hostil e tentando denegrir menos os desenvolvedores a cada erro.

O tom do novo discurso inclui falas como:

“Não habilitamos novos drivers a esmo como padrão. E definitivamente não fazemos isso quando são drivers raros, ou que a maioria das pessoas nunca ouviu falar.

Simplesmente não o façam.

Sim, todo desenvolvedor pensa que o seu driver é muito especial, mágico, importante e que deveria estar ativo como padrão. Mas… não. Temos milhares de drivers, não escolhemos um novo driver ao azar para ativar como padrão apenas porque algum desenvolvedor pensa que é especial. Não é. E, por favor, não façam coisas como esta.”

Ainda tem sarcasmo no discurso, mas é um tom muito mais conciliador. Comparando com algo escrito por Linus em novembro de 2017 sobre um assunto similar, o novo tom é quase um carinho:

“Adicionam novos drivers e ativam por padrão.

ISSO É COMPLETAMENTE INACEITAVEL!

Não sei por que eu tenho que dizer isso em cada uma das janelas de combinação, mas vou fazer isso de novo: como desenvolvedor, você pensa que o seu driver ou função é a coisa mais importante já feita, e tem o hardware.

E ISSO NÃO IMPORTA PARA QUASE NINGUÉM.

Leia e chore. Ao menos que o seu hardware seja completamente onipresente, não deveria ser o valor predeterminado de todos por padrão.”

Torvalds deixou de chamar de ‘idiotas’ ou ‘imbecis’ a alguns desenvolvedores, ou dizer que enviam porcarias sem testar com uma lista de palavrões, e optou por dizer algo que o faz ‘muito infeliz’.

Está mais diplomático e com um comportamento mais profissional, ao mesmo tempo em que continua a ser exigente, mas sem insultar as pessoas. Veremos se esta é uma mudança permanente com o tempo.

 

Via Phoronix