Compartilhe

A Wikipedia pode ser uma fonte de informação relativamente segura, mas não conta com uma boa imagem dentro do âmbito acadêmico. Os professores não a consideram como uma fonte confiável, mas na maioria dos temas conhecidos e extremamente controlados pela comunidade, pode salvar a vida de muitos estudantes.

Por isso, nasceu o M-Journal, um site que transforma qualquer página do Wikipedia em um documento acadêmico muito bem feito. E sem que os seus professores saibam disso, já que indica como subtítulo a página principal ou fonte original do conteúdo.

 

 

A Wikipedia em formato de papel

Por exemplo: você está escrevendo um artigo sobre Napoleão, e sem o M-Journal, você não poderia utilizar nada da página do Wikipedia. Agora, com o novo site, você tem um artigo de revista completo, que pode ser utilizado e mencionado no seu trabalho escolar.

Seu funcionamento é simples. Acesse a página principal do M-Journal, procure por um termo no primeiro campo de busca ou cole uma página do Wikipedia em um segundo campo, e clique no botão para criação do artigo. O artigo é produzido em segundos, a partir da conversão do conteúdo encontrado na página da Wikipedia, entregando no final um convincente artigo acadêmico.

 

 

O criador do M-Journal também pensou nas menções de fontes e na necessidade de incluir na bibliografia um link com a origem desse conteúdo, e por isso oferece um gerador de menções para os estilos MLA, APA e Chicago. Os links para os supostos artigos vão nos conduzir para um site com um mural pago (falso, obviamente), onde podemos ver apenas a primeira parte do suposto artigo original.

Em nenhum momento eu estou incentivando a produção de projetos acadêmicos falsos. Afinal de contas, esse é o tipo de coisa que os espertinhos, que adoram tirar vantagem em tudo, acabam adotando para ganhar vantagem em relação aos colegas.

Nós recomendamos que você produza os seus artigos por si, citando fontes reais e entregando conteúdos acadêmicos relevantes e de qualidade. Já basta os políticos mentindo sobre as suas formações acadêmicas. Não precisamos fazer como eles.

 

Acesse | M-Journal


Compartilhe