Moto X4 Android One

null

A iniciativa Android One tenta engrenar com maior efetividade e relevância dentro do mercado mobile. Inicialmente pensado nos modelos mais acessíveis, recentemente começou a desembarcar nos modelos com hardware mais avançado do mercado.

Outro objetivo da iniciativa (secundário, e assumido recentemente pela Google) e reduzir a fragmentação do Android, já que os dispositivos com Android One tendem a receber as atualizações do sistema operacional mais cedo do que os dispositivos com a versão customizada do Android.

Quem gerencia os updates dos dispositivos com Android One é a Google, e os softwares não recebem nenhum tipo de customização por parte de fabricantes e operadoras. Logo, não há tempos de atrasos para as atualizações.

O primeiro grande dispositivo a receber o Android One foi o Xiaomi Mi A1, e os últimos rumores (que são quase evidências) apontam para um futuro Motorola Moto X4 Anrdroid One. E já tem gente que está afirmando que o movimento por parte da Motorola com esse modelo já pode ser considerado um tiro no pé.

E o motivo é bem simples. Na verdade, vem em forma de uma pergunta direta: qual é a real diferença do Android One no Moto X4?

No modelo da Xiaomi, a diferença é enorme. Afinal de contas, deixa de lado a MIUI, que não é uma unanimidade para todo mundo, para receber um Android limpo, aproveitando o melhor do seu potencial de hardware. É claro que só saberemos se a teoria tem efeito na prática quando testarmos o dispositivo. Mesmo assim, aqui a mudança é muito mais evidente e efetiva.

No caso do Moto X4, não há grandes diferenças na experiência de uso. O Android (quase) puro adotado pela Motorola nesse tipo de smartphone já entrega, por excelência, uma experiência muito próxima daquela que o Android One deve oferecer no futuro dispositivo.

Mesmo assim, o efeito prático das atualizações mais rápidas ainda pode ser significativo para quem quer ter um dispositivo atualizado o mais depressa possível. Para aqueles que priorizam a segurança do dispositivo, esse é o modelo a ser escolhido. Para quem é fã do Android realmente puro, também.

O grande problema é que, para a grande massa crítica, realmente não faz diferença alguma os dois modelos. A Motorola não deve fazer muitos esforços para convencer o consumidor a NÃO utilizar o seu Android. E a Google não deve fazer muito esforço para promover o modelo Android One… para criar concorrência com os seus dispositivos Pixel.

Ou seja… é quase um tiro do pé que a Motorola deu. Mas isso, porque é a Motorola. Se fosse outro fabricante com um Android mais customizado, esse movimento seria mais do que interessante.