Compartilhe

A Nawa Technologies desenvolveu uma moto elétrica, a Nawa Racer, que possui autonomia para até 300 km com uma bateria de apenas 9 kW. O milagre é possível graças ao sistema de energia híbrida baseada em um condensador, que recupera entre 80% e 90% da energia de frenagem.

 

 

Uma promessa para o futuro

Esse condensador pode ser carregado e descarregado quase imediatamente, durando milhões de ciclos. Se for assim, é a unidade de armazenamento de energia perfeita. Porém, sua baixa densidade de energia não o torna tão compacto como uma bateria de lítio, sem falar na perda de energia com o passar do tempo. Por isso, um condensador não é a melhor solução como única opção para unidade de armazenamento de energia dentro de um veículo.

Diante disso, foi desenvolvida uma plataforma híbrida conectada a uma bateria de lítio, dando vida para a unidade de potência que aumenta a densidade e a capacidade de armazenamento, oferecendo assim uma bateria que aproveita as rápidas taxas de carga e descarga do condensador. Algo que pode ser bem útil nos cenários urbanos, onde freadas e arrancadas são mais constantes.

A Nawa vai apresentar o protótipo da moto elétrica Nawa Racer na CES 2020, mas sua comercialização não está garantida. A ideia aqui é vender os condensadores. Essa moto possui um motor elétrico de 99 CV e faz de 0 a 100 km/h em menos de três segundos.

O design da moto foi dividido em duas partes. Na parte inferior está a bateria de 9 kW, e na parte superior está o condensador. Com essa bateria, teremos 180 km de autonomia, mas a inclusão do capacitor de 0.1 kW aumenta essa autonomia para 300 km, sempre e quando a energia das freagens é reutilizada.

A motocicleta pesa 150 kg, e a instalação do condensador não resulta em uma grande variação de preço, além de evitar uma bateria maior, o que resultaria em um peso (e preço) maior.

O uso de sistemas híbridos permite a oferta de veículos elétricos mais leves, mais baratos e com grande autonomia. De fato, esta ideia não é nova: já vimos em projetos como o Lamborghini Sian, que substitui as baterias por super condensadores para recarga da energia.

A Nawa espera começar a receber pedidos para os seus condensadores depois da CES 2020, para iniciar a produção em larga escala durante o segundo trimestre do ano que vem, com entregas das primeiras unidades previstas para o segundo semestre de 2020.

 

Via Nawa Technologies


Compartilhe