A menina da foto acima é Hessy Levinsons Taft. Ela figurou a capa de várias revistas nazistas, acompanhada do slogan: “encontramos a ariana perfeita”, através de um concurso onde Joseph Goebbels a nomeou como vencedora. Porém…

Aquela que deveria ser um exemplo para os pais de todo mundo sobre o que era a ideia de uma “raça superior” era, na verdade, uma criança judia. #fail para os nazistas.

Hans Ballin é o fotógrafo da imagem, que foi registrada no final de 1934, e sem consultar os pais, enviou a foto para o concurso nazista. E foi o vencedor.

Várias décadas depois, em 1990, a mulher detalhou a aventura de sua vida no Museu do Holocausto nos Estados Unidos. Seus pais, Jacob e Pauline Levinsons, chegaram a Berlin em 1928, poucos anos antes de Hitler tomar o poder. O casal de judeus letões queriam ser cantores, mas com o crescente antissemitismo, não conseguiram trabalho na cidade.

 

 

Pauline deu a luz à sua filha em 17 de maio de 1934, e a foto foi produzida pelos orgulhosos pais pouco tempo depois. Meses depois do registro, uma amiga da família reconheceu a imagem em uma revista alemã. Horrorizados ao ver a filha em uma revista nazista, os pais chamaram o fotógrafo, que explicou que enviou 10 das suas melhores fotos para o concurso, incluindo a foto daquela criança.

Taft e sua família só se salvaram porque a história se manteve em segredo. Ela se mudou para os Estados Unidos no final dos anos 40, se casou e virou professora de química na Universidade St. John em Nova York. Em julho de 2014, ela contou a história para a revista alemã Bild, afirmando que só agora podia rir de tudo isso, pois se soubessem antes do que realmente aconteceu, ela não estaria viva para contar.

Moral da história: o nazismo era um regime tão imbecil, que acabou escolhendo uma criança judia como exemplo de ariano perfeito. A forma de ridicularizar um sistema idiota foi perfeita.

 

 

 

+info