O açúcar realmente vicia? | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Dicas, Truques e Macetes » O açúcar realmente vicia?

O açúcar realmente vicia?

Compartilhe

Todo mundo fala que o açúcar faz mal, que pode prejudicar a sua saúde e que você pode ficar viciado com essa substância. Mas ninguém explicou de forma clara os efeitos dessa deliciosa substância em nosso organismo.

Este post tem como objetivo deixar tudo mais claro para os mais leigos. Inclusive para mim, que tem que aprender a lidar com esta substância por causa da diabetes.

 

 

 

Muitos tipos de açúcar

 

Fazer exercícios físicos e comer alimentos saudáveis são duas regras básicas para ter uma vida longa e próspera. E comer menos açúcar ou eliminar ele da sua vida pode ser algo fundamental para alcançar esse objetivo, por mais difícil que isso possa parecer.

Açúcar é sinônimo de carboidratos. A sacarose é um tipo de carboidrato, e podemos obtê-lo através do açúcar comum, que é produzido pela refinação da cana. Porém, retirar esse elemento do café não é o suficiente.

Praticamente todos os alimentos que consumimos contam com diversos tipos de açúcares, principalmente nos alimentos industrializados. E deixar de consumir esses produtos NÃO LIVRA VOCÊ DOS CARBOIDRATOS PRESENTES NOS AÇÚCARES!

Não adianta: a maioria dos açúcares disponíveis na alimentação são naturais, como a frutose (nas frutas), a lactose (no leite), entre outros.

Então, pra resumir: VOCÊ NÃO CONSEGUE SE LIVRAR DOS CARBOIDRATOS, POIS ELES ESTÃO EM TODOS OS LUGARES!

HAHAHAHA! (risada maligna mode on).

 

 

 

Açúcar, uma doce recompensa

 

 

Antes que você diga que está amaldiçoado pelos carboidratos, eu preciso dizer que nosso corpo precisa do açúcar para funcionar bem. É uma informação genética que está presente no ser humano desde os tempos das cavernas.

A maioria dos carboidratos que nós consumimos todos os dias são digeridos como glicose, e nosso corpo utiliza o açúcar para funcionar bem. Principalmente o cérebro: pessoas com baixa concentração de açúcar no organismo simplesmente não raciocinam direito.

E o cérebro sabe quando comemos açúcar. Quando nossas papilas gustativas identificam que comemos algo doce, ela envia um sinal para o cérebro que, por sua vez, ativa o sistema de recompensa cerebral, que nada mais é do que a dopamina, o neurotransmissor que libera a sensação de felicidade e bem estar.

Ou seja, pessoas que adoram doces sempre são mais felizes.

Assim como eu, que sou viciado em chocolate.

E é exatamente aí que está o problema do açúcar.

 

 

 

Glicose vicia

 

 

Sabe o que mais libera a dopamina no cérebro?

Socialização, seu time de futebol ganhando a Libertadores, um relacionamento amoroso, sexo e, é claro, o uso de algumas drogas. E a glicose é uma das poucas substâncias alimentares que podem viciar tanto quanto a maconha.

Quando estimulamos a dopamina com frequência, recebemos o prazer e o bem estar como recompensa. E vamos querer que essa sensação boa permaneça pelo máximo de tempo possível. E, para isso, vamos buscando as fontes de prazer de forma contínua, até chegar ao ponto que você não consegue mais viver sem esse prazer.

O resultado de tudo o que eu escrevi no parágrafo anterior responde pelo nome de VÍCIO.

A glicose não libera a dopamina no mesmo nível que a nicotina, o álcool e a cocaína, mas a relação de recompensa é a mesma. E isso faz com que você queira consumir mais e mais açúcar, o que vai deixar você viciado e, em alguns casos, diabético.

No meu caso, tenho propensão genética para diabetes (praticamente toda a família do meu pai tem), e confesso que gosto de alguma coisa doce para comer. Mas eliminei o açúcar da minha dieta, mudei meus hábitos alimentares (mais legumes, verduras e frutas, menos carboidratos) e me afastei um pouco do chocolate.

Agora, tento eliminar os refrigerantes, e essa é uma missão bem complicada, admito.

De qualquer forma, fica a dica: mesmo que você e o seu cérebro amem o açúcar, consumir um pouco menos é uma excelente ideia a longo prazo.


Compartilhe
@oEduardoMoreira