Compartilhe

Parece mentira, mas não é.

E eu lá publico mentiras neste blog? Claro que não! Minhas fake news são certificadas pela Folha de São Paulo, para desespero de uns e outros. Mais do que isso são apenas calúnias dos meus opositores.

Fato é que a Oreo, aquela marca de bolachas recheadas (isso mesmo, cariocas… morram com essa… bolacha recheada SIM, e eu estou cagando e andando para o que vocês pensam) lançou uma campanha de marketing que aposta na iminente chegada de um asteroide à Terra (algo que não é tão absurdo de acontecer, já que passam vários perto do nosso planeta todos os anos), e o resultado é absurdamente bem humorado.

 

 

 

Proteja as minhas bolachas recheadas Oreo, pelo amor de Deus!

 

 

A Oreo construiu nada menos que um bunker para proteger o legado de suas bolachas recheadas diante do possível impacto de um asteroide na Terra. Até porque, se isso acontecer, tudo o que vamos precisar para sobreviver é de água potável e Oreo. Nada mais.

O mais curioso dessa campanha é que, em algum momento antes do dia 3 de novembro de 2020 (dia em que se encerra o processo de eleições presidenciais nos Estados Unidos e, com sorte, Donald Trump será derrotado e expulso do posto que jamais deveria ter ocupado), existe uma mínima possibilidade de um asteroide do tamanho de uma geladeira acertar a Terra.

Hilariamente bizarro.

Então, a Oreo optou por fazer uma campanha publicitária no estilo storytelling para chamar a atenção do público nas redes sociais. E a prova que a campanha está dando certo é a existência desse post.

O vídeo promocional mostra que o bunker foi construído para garantir a sobrevivência de um lote seletivo de bolachas recheadas Oreo, e inclui as coordenadas exatas da localização desse receptáculo seguro, para aqueles mais curiosos que desejam visitar o local.

Porém, se você está pensando que vai entrar no bunker para engordar 17 quilos só comendo bolachas, está enganado. É preciso ter uma chave de acesso e recursos financeiros suficientes para se deslocar até a Noruega para acessar o local, que foi construído para suportar temperaturas extremas, reações químicas e outras ações nocivas similares, incluindo é claro a tentativa de invasão por parte de curiosos.

Os pacotes de Oreo estão envolvidos em BoPET, uma película de poliéster ultra resistente, com elevada estabilidade química e dimensional, sendo assim a barreira perfeita para os gases e reações químicas que podem acontecer com um eventual choque de um asteroide com o nosso planeta. Detalhe: o perigo de impacto iminente de um corpo celeste com a Terra não é nenhuma piada, já que isso realmente pode acontecer em 2 de novembro de 2020.

Pode ser um sinal sobre o resultado das eleições norte-americanas… vamos aguardar…

 

 

De qualquer forma, temos boas notícias para terminar esse post. Os mais preocupados com o fim da vida na Terra podem ficar aliviados, pois o astrofísico Neil deGrase Tyson esclareceu que, apesar do asteroide do tamanho de uma geladeira ter a chance de colidir com o nosso planeta a mais de 40.000 km/h, ele não é grande o suficiente para causar nenhum tipo de dano, e muito provavelmente vai se desintegrar quando atingir a nossa atmosfera. O mais provável é que o corpo celeste sequer se aproxime do nosso planeta.

Logo, podemos seguir com a nossa vida normalmente.

 

 

 

Via ComicBook


Compartilhe