650_1000_flappy-bird

Dong Nyugen é um homem de palavra. Ou é um marqueteiro. Pode ser as duas coisas, obviamente. Ontem (09), ele levantou várias hipóteses quando cumpriu a promessa de remover a sua mina de dinheiro em forma de jogo irritante o seu jogo Flappy Bird das lojas da Apple App Store e da Google Play Store. E até o presente momento, não sabemos direito o motivo para isso acontecer. Mesmo com Dong explicando até de forma didática para todo mundo.

O nosso amigo Dong (aparentemente) ficou cansado com a exposição que veio com o sucesso do jogo, e com a quantidade de pessoas criticando o jogo pelas suas semelhanças com outro grande sucesso do mundo dos videogames, o Mario Bros. Na verdade, a semelhança é só estética mesmo. O game tem uma mecânica de jogo bem simples e irritantemente viciante. Ele consegue ser ainda mais simples que clássicos da simplicidade, como por exemplo Angry Birds e Jetpack Joyride.

Segundo o próprio Nyugen, ele ganhava aproximadamente US$ 50 mil por dia com o jogo em receitas de publicidade. Mas por conta de sua decisão, ele decidiu retirar o jogo das duas lojas. Informou que vai seguir desenvolvendo novos títulos para as plataformas móveis, mas não entrou em maiores detalhes sobre os seus futuros projetos.

Por partes. Eu não conheço o Dong. Não sou aqui advogado para defender ou condenar suas atitudes. Vou apenas levantar teorias.

Uma dessas teorias é que ele realmente pode ter se cansado de tudo isso. Afinal de contas, pense em uma horda de trolls desocupados e cheios de inveja no coração falando um monte de besteiras todos os dias. Tem gente que se enche mesmo. E nem uma montanha de dinheiro pagaria essa encheção de saco.

Outra teoria bem plausível é que essa remoção será temporária, para preparar um passo ainda maior, trazendo o jogo de volta para o iOS e o Android em algum momento considerado oportuno, para que o Flappy Bird tenha um boom ainda maior do que já tem hoje. Uma grande jogada de marketing.

Aliás, alguns efeitos indiretos desse “fim” do Flappy Bird já podem ser percebidos. Alguns malucos estão oferecendo por aí smartphones com o jogo pré-instalado, e cobrando verdadeiros absurdos para lucrar em cima do desespero de otários pessoas inocentes.

Outra possibilidade: o “fim” do Flappy Bird é uma forma de promover a empresa de Dong (e ele mesmo) para o lançamento de uma nova linha de jogos e serviços. De certo modo, já estaria funcionando, pois até semana passada, (quase) ninguém sabia quem era Dong Nyugen.

Por fim, uma última hipótese: ele realmente matou o jogo, e fim da história. Esperem o próximo.

A essa altura do campeonato, já começaram a aparecer na Apple App Store e (principalmente) na Google Play Store os “clones” do Flappy Bird (alguns até de mal gosto). Nosso amigo Dong pode também estar se protegendo para processar todo mundo. Se bem que, para uma pessoa que abriu mão de US$ 50 mil por dia, é muito pouco provável que ele queira enfrentar os tribunais.

De qualquer forma, vamos ficar de olho nos próximos acontecimentos. Enquanto isso, o Flappy Bird, nesse momento, entrou no esquema  “quem tem, tem; quem não tem, vai ficar querendo…”.