Ir ao conteúdo
www.LojaPecasAuto.pt

O futuro do Universo Cinematográfico da Marvel? O streaming, é claro!

Compartilhe

Passou da hora da indústria de cinema tradicional aceitar que o streaming chegou para ficar. O mundo mudou, não tem mais volta. Ou as grandes redes se reinventam, ou estão fadadas ao desaparecimento.

Não é uma previsão apocalíptica. É um fato consumado, que se materializou com as estreias de Tenet e Mulher-Maravilha 1984, dois dos blockbusters muito esperados para 2020, mas que não alcançaram um grande êxito na bilheteria.

No caso do filme de Christopher Nolan, temos um fracasso tão retumbante que, por causa desse filme, a Warner vai estrear os seus filmes no cinema e no streaming de forma simultânea por pelo menos dois anos.

E o filme de Patty Jenkins divide opiniões pelas escolhas, e mesmo “salvando” o final do ano nos cinemas norte-americanos, não repetiu o sucesso da bilheteria do primeiro filme. Ao menos garantiu uma trilogia para concluir a história da personagem.

Mas… e quando Kevin Feige decide abrir a boca? O que será que acontece.

 

 

 

É Kevin Feige que está falando. É melhor prestar atenção nisso

 

Em recente entrevista, Kevin Feige, o chefão da Marvel Studios, afirmou que “o futuro do Universo Cinematográfico da Marvel está no cinema”, e isso fez com que as úlceras dos donos das grandes salas ao redor do mundo começassem a doer com força.

É claro que é preciso colocar a fala em contexto.

Kevin afirmou que as pessoas vão aos cinemas para assistir aquilo que não é possível ver na TV via streaming. Ou seja, as grandes histórias e blockbusters que sempre alimentaram o cinema ao longo de sua história. Mas reforça que até mesmo essas produções acabam no Disney+, mais cedo ou mais tarde.

Logo, é nesse sentido que ele afirma que o futuro é o streaming. E isso está tão na nossa cara, que fica até fácil imaginar como será.

 

 

 

As séries são apenas o começo

 

O investimento feito na Marvel Studios para as séries que começam a desembarcar no Disney+ a partir de janeiro de 2021 é algo simplesmente absurdo. E o próprio Kevin Feige declarou em outra oportunidade que os episódios das séries devem ser encarados como “pequenos longas metragens” da Marvel.

Nenhuma empresa investe tanto dinheiro para não tornar esse universo ainda maior. É claro que a Marvel quer aproveitar os fãs que conquistou nos cinemas para dar audiência para as séries de TV, mas seria até estranho se a migração da TV pro cinema não acontecesse.

É só parar para pensar um pouco.

O cidadão que está pagando a mensalidade do Disney+ (e a parcela da TV 4K de 49 polegadas que colocou na sala do apartamento para assistir a essas séries) vai querer receber os filmes que conectam essas séries em casa. Pela conveniência. Pela lógica do consumo desse conteúdo.

As grandes produtoras descobriram o streaming como uma forma muito interessante de fidelizar audiência por muito tempo, obtendo lucros sustentáveis. E com as pessoas pensando dez vezes antes de sair de casa (ou pelo menos deveriam), o cinema tradicional vai enfrentar problemas sérios.

Kevin Feige já fez as contas, e já sabe que o futuro é a audiência da Marvel assistindo Vingadores 5 na sala de casa. E os donos das redes sabem disso. Tanto, que a úlcera está doendo até agora.

E quero acreditar que Kevin Feige falou mesmo de futuro nessa entrevista. Pois estou preparado para viver esse futuro promissor.

 

 

Via Emmy


Compartilhe
Publicado emCinema e TV