Os games estão em alta. Xbox One, PlayStation, nos PCs ou smartphones, jogos e gamers nunca tiveram tanto destaque.

Porém, se houve algo que sempre colocou medo no universo dos consoles foi a grande quantidade de jogos disponíveis para smartphones. Nos últimos dez anos, o mercado de telefones inteligentes evoluiu e muito e, paralelo à isso, milhares de jogos para esses dispositivos foram criados.

Uma ameaça maior foi eliminada, e os consoles tradicionais deveriam agradecer por isso: os tablets. Esse dispositivo não conseguiu acabar com os desktops, muito menos com o universo gaming nos consoles.

Mas fato é que, nesse momento, PlayStation e Xbox não podem ser ameaçados pelos dispositivos móveis. Os smartphones jamais contarão com a capacidade de rodar jogos muito pesados, e em um mundo onde pedimos telas cada vez maiores, a única grande vantagem dos smartphones está mesmo na sua mobilidade.

Porém, ainda temos que falar do PC.

 

 

Embora muitos afirmem que o computador não foi feito para jogar (e é por isso que existem os consoles), até que ponto isso pode ser considerado um axioma?

Não por acaso Microsoft e Sony já encontraram meios dos gamers rodarem seus jogos em computadores. E este foi um dos grandes motes do Windows 10. O motivo disso? Os consoles pecam na mobilidade, que hoje é algo fundamental para qualquer pessoa.

Por exemplo: você quer jogar o game recém comprado na sua viagem na casa da avó, e não quer levar o seu videogame consigo. Já há uma solução, via PC, através de um “streaming remoto” do console para o notebook (que é algo que você leva para qualquer viagem).

Então… qual é o futuro do gaming?

O mundo dos games como conhecemos hoje vai mudar. Não de forma radical, nem para quem já joga hoje no computador. Porém, daqui para frente, ficará estabelecido que quem quer jogar no smartphone ficará restrito às escolhas do smartphone, em quem quer jogar no PC pode também aproveitar os games atuais e os considerados exclusivos para os consoles.

Com sorte, veremos algo como um Surface Play. Ou um produto da Microsoft e da Sony que diz claramente “este é o seu notebook para games”, sendo assim um convite para quem quer jogar com mobilidade.

 

 

Televisores existem em qualquer lugar. Canos e fios são mais e mais necessários. Controles conseguimos encontrar em qualquer cidade, e os fabricantes vão seguir oferecendo suas alternativas compatíveis com PCs.

Logo, a convergência do console e do computador pode resultar em um universo gaming ainda mais mobile. As pessoas não ficam eternamente no mesmo lugar, e não querem mais esperar para rodar o seu jogo favorito.

E eu estou ansioso para ver essa futura guerra de consoles acontecer. Que deve ser mais acirrada se pensarmos nos fabricantes que já oferecem PCs para games.

Um futuro muito promissor para o mundo dos games está a caminho.

Quem viver, verá.