Eu li um artigo de um dos sites internacionais que eu acompanho, afirmando que “o mundo será dos phablets”. Eu discordo: na verdade, já é.

Aliás, já é. E faz tempo.

Não preciso apelar para estudos aprofundados sobre o assunto. Basta olhar para o mercado nos últimos quatro anos para observar como as tendências e o comportamento do consumidor mudaram nesse aspecto.

O que muitos consideravam “um absurdo” no ato do lançamento do primeiro Samsung Galaxy Note é hoje considerado “abaixo dos padrões”, uma vez que o normal é contar com um smartphone com tela de 5.5 polegadas (pelo menos).

Eu confesso que me agrada mais um smartphone com uma tela um pouco menor (entre 4.7 e 5.3 polegadas é o ideal para mim), mas não posso negar que os phablets dominam o mercado em vendas e na preferência do consumidor de tecnologia.

E os motivos são os mais diversos.

Sistemas operacionais visuais, que se beneficiam do tamanho de tela maior para uma melhor interação com o usuário. O aumento do tamanho de tela ajudou a popularizar ainda mais o smartphone junto ao grande público.

Além disso, as melhores possibilidades de consumo de conteúdo multimídia com uma tela maior também influenciou positivamente nesse aumento de popularidade. As pessoas passaram a ver seus filmes e suas séries nas telas portáteis, em qualquer lugar. Sem falar no YouTube, que é mais consumido nas plataformas móveis.

E isso porque eu não estou considerando em nenhum momento todos os ganhos técnicos indiretos, como melhores SoCs (para um melhor desempenho geral), melhores GPUs (para um maior impulso gráfico) e baterias com maior autonomia (para alimentar essas telas por mais tempo).

 

 

Esses são apenas alguns exemplos que explicam por que os phablets dominam o mercado mobile a algum tempo. Não preciso de números elaborados para concluir isso.

E, diferente de outras mudanças de design que vimos nos últimos 15 anos, acho que a era das grandes telas para smartphones não terá volta. O que pode mudar é o formato do dispositivo onde essa tela se fará presente.

Modelos sem bordas são mais compactos e confortáveis para os usuários. Isso permite que uma grande tela se encaixe melhor em um dispositivo com corpo menor. E isso vai garantir uma longevidade ao formato de dispositivos com telas de grandes dimensões.

No final das contas… longa vida aos phablets. Quanto mais, melhor!