android

Recentemente eu escrevi um artigo nesse blog comentando que as ROMs personalizadas não são mais tão prejudiciais aos dispositivos Android como eram no passado. Agora, eu mostro o outro lado da moeda, dando argumentos que reforçam a ideia do Android puro, e o desaparecimento das customizações na interface do sistema operacional da Google.

Os usuários podem sim ter a liberdade de personalizar a sua interface Android. Mas, ao que parece, na maioria dos dispositivos, trazer essa personalização de fábrica é algo desnecessário e até prejudicial.

Os puristas tem argumentos bons para pregarem o fim das personalizações, mesmo que eu já tivesse questionado antes sobre se realmente as interfaces personalizadas são tão prejudiciais quanto parecem.

Os defensores do Android puro falam da segurança do sistema, onde o Android é bem mais suscetível ao ataque de malwares. O Android está a caminho de ser um monopólio no mercado mobile global, e as políticas de atualizações dos fabricantes são simplesmente injustificáveis. Melhoraria a situação se eles não demorassem tanto para liberar as correções com as adaptações para as suas respectivas modificações de suas versões? Possivelmente sim.

Os principais motivos dos puristas estão ligados a esse ponto, e obter as mais recentes atualizações é o segundo argumento. Oferecer o Android puro encurtaria muito o tempo de liberação de novas versões, e as capas personalizadas incidem nesse tempo de entrega dos updates.

O terceiro argumento é uma menor duplicação e bloatware. A duplicação de aplicativos e aplicativos lixo que os fabricantes tanto gostam de colocar nos dispositivos.

Este é um problema que só o bom senso dos fabricantes pode resolver. Alguns deles contam com dispositivos que não tem argumentos suficientes para convencer o consumidor, que partem para os apps que podem ser inúteis em muitos casos. Até a Google tem culpa no cartório, pois coloca vários aplicativos próprios que não podem ser instalados. Enquanto as autoridades não reagem a esse absurdo, poucas esperanças podemos ter de que essa situação mude.

O quarto ponto é o melhor desempenho e o maior espaço de armazenamento. De novo: quanto menos aplicativos lixo são enfiados à força no dispositivo, melhor será o seu desempenho.

Mas dificilmente os fabricantes ou a Google vão mudar suas políticas nesse aspecto se elas não forem obrigadas. De fato, era o usuário quem deveria escolher instalar uma nova launcher ou desinstalar os aplicativos que quiser. Mas isso dificilmente vai acontecer.

A forma mais viável para o usuário solucionar o problema é escolher marcas e modelos que se destacam pelo Android de fábrica, ou criar a coragem para rootear o dispositivo e instalar uma ROM própria.