Início » Tecnologia » O que é a fadiga de decisão, uma grande ameaça para a Netflix

O que é a fadiga de decisão, uma grande ameaça para a Netflix

Compartilhe

Se você foi para a Netflix buscando algo novo para assistir, mas acabou revendo Friends em maratona, você sofreu de um efeito chamado fadiga de decisão. E qualquer plataforma de streaming simplesmente morre de medo desse comportamento.

A fadiga de decisão leva o usuário a reduzir as horas de consumo ou até mesmo cancelar a assinatura de um serviço de streaming. E para a Netflix em específico, isso é pior que as redes sociais e o Disney+.

Mas vamos entender melhor o que é esse conceito.

 

 

 

O que é a fadiga de decisão?

 

A fadiga de decisão é uma síndrome resultante da somatória de dois processos mentais: o estresse da vida diária e a montanha de conteúdos disponíveis na Netflix.

Ter que tomar a decisão de escolher um conteúdo entre tantas opções pode resultar no medo de tomar a decisão errada, mesmo sabendo que as demais opções não vão desaparecer da Netflix. Por isso, muitos não gastam muito tempo na escolha do conteúdo, já que não existe a certeza que aquela será a melhor escolha.

Traduzindo: tem tanta coisa para ver na Netflix, que estamos cansados de ter que decidir sobre o que assistir. Nós cansamos de ficar procurando por conteúdos, e esse cansaço se traduz como fadiga de decisão.

O medo de escolher o conteúdo errado faz com que você volte a ver Friends, que é uma escolha certa de diversão para muita gente. E o que a Netflix realmente teme é que essa fadiga faça com que a pessoa deixe de assistir a Netflix e vá para os videogames ou para as redes sociais.

E, com o tempo, essas mesmas pessoas migram para outras plataformas, procurando por novas propostas de entretenimento.

 

 

 

O que a Netflix está fazendo para combater a fadiga de decisão?

 

A Netflix sabe que os primeiros 90 segundos depois que o usuário entra em sua plataforma são críticos. Por isso, o usuário é bombardeado com sugestões personalizadas, trailers que se reproduzem automaticamente, opções de salvar conteúdos em listas de reprodução, sugestões baseadas no seu histórico de uso, listas de novidades, listas de séries mais populares e um longo etc.

E, ainda assim, a Netflix testa outras duas funções para evitar a dispersão de usuários: a Netflix Direct e a Reprodução Aleatória.

A Netflix Direct é a versão da plataforma em canal de TV, com listas de séries e filmes que são exibidas em um horário previamente definido, e com conteúdos que você não pode escolher. E tem gente que prefere assim.

A Reprodução Aleatória permite que o usuário simplesmente aceite o conteúdo que a Netflix vai escolher ao acaso, onde você não precisa se preocupar em escolher o que vai assistir.

São duas iniciativas desesperadas por parte da Netflix para driblar a fadiga de decisão. Porém, quantas pessoas estão dispostas a ver TV de forma totalmente aleatória no lugar de escolher o que assistir?

É um duelo complicado, pois o que faz das plataformas de streaming diferentes da TV tradicional é o poder de escolha que o usuário possui, com novos conteúdos para manter o serviço atrativo para o assinante. Mas a tal fadiga de decisão pode atrapalhar essa mecânica por completo.

 

 

Via Business Insider


Compartilhe