lg_g3_primera_imagenes

Eu entendo que, em tempos de internet, as palavras “segredo” e “privacidade” tomaram uma conotação onde elas praticamente não existem. Ainda mais no desejado mundo da tecnologia, onde todo mundo quer “dar o furo” (ui!) antes de todo mundo. Ok, algumas empresas conseguem proteger os seus segredos (a Microsoft é o maior destaque), mas outras simplesmente parecem não se importar com tantas fotos espalhadas de seus produtos. Falarei especificamente da LG nesse post.

O LG G3 já é um “ilustre conhecido”. Sabemos como ele é na sua estética, as suas características físicas mais evidentes, e hoje (21), uma série de slides com características técnicas (aparentemente) oficiais e definitivas apareceram em fotos na internet, vazadas de um suposto evento interno da empresa. Eu sei que algumas empresas de tecnologia até gostam que tais vazamentos aconteçam. Mas… seria o caso do LG G3?

Eu digo isso porque, se por um lado temos informações antecipadas do que está por vir, por outro lado, tais vazamentos podem “esvaziar” eventos oficiais, tirando o interesse de jornalistas, blogueiros e até mesmo do consumidor. O evento de lançamento de um produto deixa de ser algo impactante, para chamar a atenção e vender melhor a proposta do produto para ser uma mera seção de “cheklist”, onde os principais detalhes do produto já são conhecidos por todos.

Um exemplo recente do que estou falando está nos eventos ocorridos antes do lançamento do Motorola Moto E. Até o final de semana antes do anúncio oficial, nenhuma imagem do produto havia aparecido na web. Na sexta-feira antes do lançamento, não só vazou uma imagem, como “acidentalmente” a Fast Shop deixou vazar a página de venda do produto no seu e-commerce, com todas as características técnicas e imagens oficiais do produto.

O “aparentemente” está “entre aspas”, pois não foi a primeira vez que a Fast Shop vazou lançamentos da Motorola. Logo, não pode ser mera coincidência, certo?

Então, fica a pergunta: será que é isso mesmo que a LG quer? Será que eles estão felizes que o seu público já sabe praticamente tudo o que esse aparelho tem? Tudo bem, a empresa chamou a atenção para si, e já tem muita gente querendo comprar o LG G3 apenas pelas informações vazadas. Mas… e o impacto de um lançamento? E o fator surpresa, que pode ser muito bem explorado para enfatizar os diferenciais do seu lançamento em relação aos seus concorrentes?

Será que vamos viver daqui para frente apenas e tão somente de não mais guardar os segredos dos futuros produtos, apenas para antecipar as expectativas do consumidor, tentando garantir as vendas de forma antecipada? Surpreender e impressionar o geek com elementos não previsos não é mais o objetivo? Isso não vende mais? Eu, particularmente, prefiro ser surpreendido do que ficar com um bloquinho de anotações, indicando tudo o que já conheço do produto apresentado. Até porque isso é algo muito monótono. Sair de casa para fazer isso é uma grande perda de tempo.

Estaria morta a era do “one more thing” nas apresentações de produtos de tecnologia? Fica a questão.